Segurança

Suspeito de matar namorada em SC já era investigado por assassinato de ex da vítima

Há indícios de que homem tenha usado a mesma arma nos dois crimes, segundo a polícia

Divulgação

O homem suspeito de atirar em ​Valesca Micaela Toledo, de 20 anos, e atear fogo na companheira ainda com vida no bairro Jardim Sofia, zona Norte de Joinville, também é investigado pelo assassinato da ex-namorada da vítima, ocorrido no ano passado. Ele foi preso na tarde de terça-feira (24), nove dias após assassinar Valesca.

De acordo com o delegado Dirceu da Silveira, titular da Delegacia de Homicídios, há um inquérito policial em andamento em que o jovem de 18 anos é suspeito na condição de autor do crime, que aconteceu em dezembro de 2021 no Jardim Paraíso.

— No passado, ele foi vítima de tentativa de homicídio. Em decorrência disso, acreditamos nós, que, passado um tempo do fato, ele matou a menina por ter entendido que ela teria sido a mandante dessa suposta tentativa de homicídio — explica o delegado.

Inclusive, há indícios de que ele tenha usado a mesma arma nos dois crimes, já que o calibre do revólver é o mesmo.

Outro crime

Logo após esta morte da ex-namorada da então companheira, segundo Silveira, o investigado teria passado a se relacionar e conviver com Valesca. Cinco meses depois, a ela foi encontrada morta em cima de uma cama, com partes do corpo queimadas. Na última terça-feira, o homem entregou-se à polícia confessando ter assassinado a vítima.

Durante o depoimento, o jovem alegou legítima defesa. Conforme relatou à polícia, ela teria pego uma arma de fogo e investido contra ele, que, para salvar a própria vida, disse ter pego tirado o revólver de Valesca e atirado na cabeça dela. Em seguida, ateou fogo no corpo da vítima. Exames periciais preliminares feitos na cena do crime indicam, inclusive, que a vítima ainda estava viva quando o fogo começou.

Para a polícia, com base nos laudos periciais, registros de câmeras de segurança que mostram o suspeito entrando na casa líquido inflamável em mãos, além de ele ter fugido após o assassinato, apontam que o crime foi premeditado.

— Há um indicativo muito forte que houve uma premeditação deste crime, porque o autor, em duas oportunidades, entra no imóvel e saí do imóvel. Fica muito claro que ele chega no imóvel já com a intenção de efetuar o crime, ou seja, tirar a vida da jovem. E no que pese nas alegações dele, que teria agido para se defender, acreditamos que não seja verdade — relata Silveira.

Ainda conforme o delegado, o casal estava há cerca de cinco meses junto e viviam há mais ou menos 20 dias na quitinete em que alugaram no bairro Jardim Sofia. Anteriormente, eles moravam na mesma casa que a mãe do suspeito.

Relembre o crime

A Polícia Militar foi acionada por volta das 20h40min do dia 16 de maio para atender a ocorrência e, quando chegaram ao endereço, encontraram a casa queimada. Os policiais conversaram com vizinhos, que relataram ter ouvido Valesca e o suspeito discutindo durante a noite.

A casa fica em um conjunto de quitinetes e, minutos após a briga, os moradores sentiram cheiro de fumaça saindo do local e, rapidamente, atuaram com baldes para apagar as chamas. No entanto, em primeiro momento, o corpo da vítima não foi encontrado pelos vizinhos, mas havia a suspeita de que ela tinha sido agredida.

Durante a revista, dentro de um dos quartos da quitinete, que fica aos fundos do terreno, a PM encontrou o corpo da mulher com queimaduras na cabeça e nos ombros, em cima de uma cama.

O companheiro da vítima foi visto logo após o crime fugindo do local em uma motocicleta. Ele segue preso preventivamente.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

SED se pronuncia sobre esfaqueamento em escola de Criciúma

Secretaria de Estado da Educação informa que está apurando as informações sobre o caso ocorrido na noite de sexta-feira no bairro Mina do Mato

Rua rachada em SC corre risco de desabar e famílias são orientadas a deixar casas, diz prefeitura

Análise de um geólogo atestou que a rua, em São Bento do Sul, possui "alto risco para desmoronamento".

Mais caro que gasolina: óleo diesel é encontrado a mais de R$ 8 em duas cidades de SC

Pesquisa da ANP avaliou valores entre os dias 19 e 25 de junho e mostra cidades de Santa Catarina com óleo diesel a mais de R$ 8

Produtores de Soja recebem prêmio do Grupo Olim

Prêmio Produtividade de Soja Safra 2021/2022 foi entregue nesta quinta-feira (23)