Oeste

Suspeito de ser assassino em série leva polícia até corpo de desaparecida, no Oeste de SC

Corpo mutilado de jovem de 23 anos foi encontrado em Caçador. Rapaz de 22 anos é suspeito de matar outro jovem e o próprio pai.

Foto: Polícia Civil / Divulgação

Foto: Polícia Civil / Divulgação

O rapaz de 22 anos suspeito de ser um assassino em série confessou na quarta (4) à polícia ter matado uma jovem de 23 anos. Na manhã desta quinta-feira (5), ele levou os policiais até a região onde estava o corpo dela, que estava mutilado, informou o delegado Eduardo Mattos, de Caçador, Oeste catarinense.

Desde sexta (29), o rapaz de 22 anos está preso. Ele é suspeito de ter cortado em três partes e enterrado em um matagal no interior do município outro jovem da mesma idade, cujo corpo foi encontrado no sábado (30).

Outros dois esquartejamentos são investigados, já que supostos vídeos onde ele aparece executando crimes foram feitos. Além disso, ele pode ter matado o próprio pai, crime que a mãe teria assumido, informou a Polícia Civil.

Segundo o delegado, o corpo é de Clarisse Justino de Andrade, que estava desaparecida desde o dia 20 de abril. A jovem aparece sendo morta em um dos vídeos feitos pelo jovem, disse Mattos.

Após a indicação do suspeito, o corpo da jovem de 23 anos foi encontrado por um cão farejador dos bombeiros militares de Curitibanos, também no Oeste catarinense, na localidade conhecida como Linha Geral da Caixa D'água, interior de Caçador.

O delegado também informou que foi aberto outro inquérito, separado da vítima de 22 anos, para investigar a morte de Clarisse.

Rapaz foi esquartejado

Segundo o delegado Mattos, o suspeito foi preso na sexta (29) na empresa em que trabalhava como auxiliar em serviços gerais em Caçador.

Um rapaz de 22 anos teria ido a uma festa em 21 de abril, onde teria exagerado na ingestão de bebida alcóolica e aceitado uma carona do suspeito, mesmo sem conhecê-lo. No trajeto, ele e o suposto autor do crime teriam se desentendido.

“Teria havido uma discussão entre eles, mas não chegaram a se agredir. A gente acredita que tenha sido esse o motivo do crime”, disse Mattos. Conforme o delegado, o suspeito primeiro asfixiou a vítima, depois a jogou em um matagal.

No dia 22 de abril, ele teria retornado ao local, esquartejado e enterrado o corpo. Os policiais encontraram no sábado (30) o tronco da vítima cortado ao meio, duas pernas e um braço também estavam cortados.

"Eu acredito que estamos diante de um 'serial killer'", disse, na ocasião, o delegado. "É uma pessoa que trabalhava, não gerava suspeita, é uma pessoa fria. A história abalou toda a população, inclusive os policiais que estiveram procurando o corpo”, disse Mattos.

O suspeito permaneceu calado e se recusou a prestar depoimento. O inquérito sobre o crime do rapaz de 22 anos deve ser concluido nesta sexta (6), informou a Polícia Civil, após a reconstituição do crime.

Com informações do site G1 SC