Geral

Trabalho escravo e aliciamento e tráfico de trabalhadores motivam mais de 6 mil denúncias nos últimos cinco anos

Para marcar o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, instituição realiza evento virtual em 28 de janeiro, às 18h, sobre a atuação nesta área

Foto: Divulgação

Nos últimos cinco anos (2016-2020), o Ministério Público do Trabalho recebeu um total de 6.056 denúncias relacionadas aos temas trabalho escravo e aliciamento e tráfico de trabalhadores. Neste período, tais violações motivaram a abertura de 3.189 inquéritos civis para apurar os fatos denunciados. Para marcar o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, lembrado em 28 de janeiro, o MPT realiza uma live sobre trabalho escravo e tráfico de pessoas, às 18h da referida data, pelo canal TVMPT, no YouTube.

Os números foram extraídos do sistema MPT Digital e mostram também que, desde 2016 até o final de 2020, a instituição emitiu 86.783 despachos referentes ao trabalho escravo e ao aliciamento e tráfico de trabalhadores, além de ter expedido 68.654 documentos, entre notificações, ofícios e requisições a respeito destas irregularidades. Ainda foram firmados 1316 termos de ajustamento de conduta e ajuizadas mais de 500 ações acerca do assunto, pelo órgão.

“Mesmo com as dificuldades geradas pela atual pandemia, é importante destacar que o MPT continua firme no combate ao trabalho escravo, não apenas por meio da participação de operações em conjunto com órgãos parceiros, como Detrae, MPF, DPU e autoridades policiais, mas também com a responsabilização trabalhista de empregadores e a defesa dos direitos das vítimas”, contam a coordenadora e o vice-coordenador de Combate ao Trabalho Escravo e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (Conaete), do MPT, a procuradora Lys Sobral e o procurador Italvar Medina.

Os detalhes desta atuação no combate ao trabalho escravo e ao tráfico de pessoas serão apresentados durante a programação do evento virtual, que contará também com a participação de representantes de outras instituições parceiras. A live vai mostrar ainda diferentes projetos estratégicos implementados pelo MPT em parceria com outros órgãos, destinados à conscientização, capacitação e prevenção para atendimento às vítimas.

Confira aqui a programação completa:

Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo – Além da live do MPT às 18h (no canal TVMPT, no youtube), com o procurador Italvar de Paiva Medina, a Conaete vai participar de diversos eventos alusivos à data, no dia 28 de janeiro. Entre eles, a procuradora Lys Sobral estará às 15h na live promovida pelo @canalawure. Às 16h (horário de Brasília), a coordenadora nacional da Conaete participa do evento virtual realizado pela Coetrae do Mato Grosso. Já às 19h, a procuradora fala sobre Trabalho Escravo Contemporâneo na mesa virtual do canal do GETEC da Universidade Estadual de Feira de Santana, na Bahia. O vice da Conaete, Italvar Medina, também já tem entrevistas marcadas a respeito do assunto em diferentes veículos de comunicação.

Campanhas de conscientização – Desde o início de janeiro, o MPT realiza uma nova campanha de conscientização sobre o trabalho análogo à escravidão, em que reforça o conceito de trabalho escravo e suas características, como o trabalho forçado, a jornada exaustiva, as condições degradantes, e a servidão por dívida, esclarecendo à população como identificar e denunciar o problema às autoridades competentes.

Notícias Relacionadas

DIC de Criciúma prende donos de farmácia por venda criminosa de remédios

Os proprietários da farmácia. R. C., de 58 anos, e a esposa, S. R. V., de 56 anos, foram encaminhados ao presídio local.

Escolinha de Iniciação Esportiva Esucri: inscrições gratuitas

Projeto visa incentivar a prática de atividades físicas por meio do esporte

São Ludgero registra duas mortes por Covid-19 em menos de 24 horas

Até ontem, terça-feira, 15 de junho, São Ludgero tinha confirmado 2.778 casos, 102 ativos, 2.643 recuperados, 39 suspeitos e 5.510 exames descartados

Prefeitura de Criciúma deve entregar novas UBSs em quatro bairros

Objetivo é garantir um atendimento ainda mais humanizado e acessível à população, com nova infraestrutura e equipamentos