Geral

Tranquilidade e respeito total às normas sanitárias marcam retorno gradual do PJSC

Importante destacar que grande parte dos magistrados e servidores continua no regime home office e, por conta disso, o PJSC atende primeiro pelo Balcão Virtual, das 12h às 19h, com acesso pelo endereço eletrônico do TJSC

Divulgação

O Poder Judiciário de Santa Catarina (PJSC), em respeito às normas sanitárias e à Resolução GP/CGJ n. 17, de 23 de junho de 2021, retomou ontem (1º/7) o atendimento presencial de forma gradual por conta da pandemia da Covid-19. O retorno presencial de servidores e de magistrados obedeceu aos critérios da normativa, que segue o mapa de risco divulgado semanalmente pelo Governo do Estado. Assim, de acordo com a Casa Militar do Judiciário catarinense, o percentual médio do fluxo de pessoas no primeiro dia ficou em 18,38%.

Importante destacar que grande parte dos magistrados e servidores continua no regime home office e, por conta disso, o PJSC atende primeiro pelo Balcão Virtual, das 12h às 19h, com acesso pelo endereço eletrônico do TJSC. O juiz auxiliar da Presidência Cláudio Regis de Figueiredo e Silva destacou que o retorno gradual do atendimento presencial aconteceu em todas as unidades do Estado, com a restrição de até 20% para as regiões em nível gravíssimo e de até 30% nas graves.

“A prioridade continua sendo o atendimento não presencial pelo Balcão Virtual, e-mails, Central de Atendimento da Corregedoria ou WhatsApp Business. O atendimento presencial é restrito aos casos estritamente necessários, em que não é possível o atendimento a distância, preferencialmente com hora marcada, com exceção dos casos urgentes”, anotou o magistrado.

As regras sanitárias de utilização da máscara, do uso do álcool em gel e da necessidade de distanciamento continuam obrigatórias. Nesta semana, apenas a região do Extremo Oeste está em nível grave, enquanto todas as outras continuam no gravíssimo. Segundo o chefe da Casa Militar do PJSC, coronel Adilson Luiz da Silva, o percentual médio de ocupação ficou dentro do que prevê a resolução. “Percebemos que havia uma demanda reprimida, porque só nesta quinta-feira tivemos 40 comarcas com audiências presenciais”, observou.

Com as devidas cautelas e cuidados sanitários que o momento exige, o juiz Marlon Jesus Soares de Souza, titular da Vara da Família e diretor do foro da comarca de Criciúma, encaminhou os votos de boas-vindas a todos os usuários da Justiça catarinense. “É com satisfação que iniciamos o processo gradual de retomada das atividades presenciais na comarca de Criciúma. Em que pese o aumento da produtividade em razão do home office, o contato pessoal com advogados, promotores, procuradores e partes é fundamental para a humanização da Justiça”, destacou o magistrado.

 

Notícias Relacionadas

Forquilhinha decreta situação de emergência após alagamentos

Últimos dias para eleitores com deficiência pedirem mudança para seção com acessibilidade

Senado aprova redução na idade mínima para laqueadura

Fifa antecipa início da Copa do Mundo para 20 de novembro

Jogo entre Catar e Equador abrirá o próximo Mundial