Geral

Trump diz que EUA teriam até 2,5 milhões de mortes por Covid-19 se agisse como Brasil

Condução da pandemia no Brasil e na Suécia virou exemplo a não ser seguido, segundo presidente dos Estados Unidos.

Divulgação

Os Estados Unidos são hoje líderes absolutos nas estatísticas negativas da Covid-19 no mundo. O país é o único com mais de 100 mil óbitos e já beira os 2 milhões de casos confirmados pela doença. No entanto, segundo declarações desta sexta-feira (5) de Donald Trump, a situação poderia ser muito pior se eles seguissem o exemplo do Brasil.

Em sua coletiva desta sexta, Trump defendeu as ações de seu governo contra a pandemia, justificando que suas ações e o fechamento do país permitiram salvar cerca de 2 milhões de vidas. Na sequência, usou o Brasil como exemplo, como aponta o site G1.

“Se você olhar para o Brasil, eles estão passando por dificuldades. Eles continuam citando o exemplo da Suécia, mas isso está voltando para assombrar a Suécia. A Suécia está passando por um momento terrível”, disse o presidente americano criticando ao mesmo tempo as ações brasileira e sueca.

“Se tivéssemos agido assim, teríamos perdido 1 milhão, 1,5 milhão, talvez 2,5 milhões ou até mais”, concluiu Trump.

A postura a que ele se refere é a espera pela “imunidade de rebanho”, um conceito que prevê que a doença para de circular após infectar um percentual grande o suficiente da população. No entanto, com uma letalidade estimada entre 0,5% e 1,2% (obtida com estudos sorológicos em regiões como Nova York e Espanha), em um país com 330 milhões de habitantes como os EUA, permitir que metade do povo seja contaminado significaria entre 850 mil e 2 milhões de óbitos.

Segundo os dados mais recentes do Ministério da Saúde, o Brasil tem 614.941 casos confirmados, com 53% deles ainda em acompanhamento. Já são 34.021 óbitos, com 254.963 pessoas recuperadas.

Com informações do site Olhar Digital

Notícias Relacionadas

STF autoriza SC a utilizar recursos do pagamento da dívida com a União no enfrentamento da Covid-19

O pedido foi protocolado pela Procuradoria-Geral do Estado de Santa Catarina (PGE) para garantir que a União deixe de aplicar qualquer tipo de penalidade ao estado em razão da suspensão dos pagamentos.

Clínicas e laboratórios particulares de Braço do Norte terão que informar a Prefeitura sobre exames para Covid-19 realizados

O Decreto 026/2020, assinado pelo prefeito, Beto Kuerten Marcelino, na noite deste domingo (12), visa garantir a transparência sobre os dados da doença no Município.

Em três meses, PGE atuou em cerca de 270 ações judiciais e emitiu 36 pareceres jurídicos sobre Covid-19

A Procuradoria-Geral do Estado (PGE) atuou de forma judicial e administrativa para dar suporte às decisões do Poder Executivo e garantir o cumprimento das determinações para conter o avanço do novo coronavírus no Estado.

Coronavírus em SC: Fapesc aprova cinco projetos de pesquisa e destina R$ 500 mil a estudos sobre Covid-19 no estado

O edital buscava estudos que apontassem soluções para o combate à epidemia e seus efeitos na sociedade e na economia.