Política

Vereadores discutem situação da saúde em Orleans

A situação da saúde, principalmente no que se refere aos postos de saúde, foi debatida em sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Orleans, na segunda-feira (2). A discussão iniciou quando, ao fazer uso da tribuna, o vereador Osvaldo Cruzetta (PP) questionou a demolição do posto de saúde da comunidade.

“Moradores de Rio Pinheiros me informaram que o posto de saúde da comunidade, fechado a mais de ano, seria desmanchado e passaria a funcionar na escola. Peço que seja visto, junto ao Poder Executivo que, ao invés de desmanchar aquele postinho, se faça uma reforma”, solicitou.

O vereador Clésio de Oliveira Sousa (PSD), por sua vez, reforçou o pedido de um especialista em ortopedia na rede pública municipal. Além disso, falou também sobre a situação do posto de saúde de Nova Orleans.

"Para mim, o posto de saúde de Nova Orleans ficar fechado durante dois meses é um descaso. Recebi uma ligação na semana passada de um senhor, que mora no bairro, indignado. A população quer ser atendida e espera pelo poder público, que é pago pela população. Então não pode ter férias, tem que funcionar porque a população, principalmente a mais carente, precisa todos os dias, a saúde não tira férias.

O líder do governo de Orleans, vereador Valter Orbem (PSD), afirmou que esteve com a secretária de saúde e com o prefeito do município, em Rio Pinheiros Baixo, conversando com representante dos moradores da comunidade.

“Nós conversamos com o presidente do conselho da comunidade. Decidimos que, já que a escola atende apenas um posto do correio e é um local de fácil acesso, a ideia seria que se fizesse a reforma da escola, que está parada hoje, para que toda a população pudesse ser atendida”, explicou.

Valter garantiu que o representante da comunidade afirmou que este é um desejo antigo dos moradores. “Ele ficou responsável de conversar com os outros membros do conselho para certificar-se de que era essa a vontade da comunidade e ele afirmou que é. Agora, com a informação repassada por você, nós iremos voltar lá para conversar com o presidente para que se possa ter a informação real do que querem os moradores”.

Ele repassou ainda aos vereadores a intenção da secretária de saúde. “Ela pretende reformar todos os postinhos do interior de Orleans para garantir um atendimento de qualidade. Esta Casa receberá ainda um projeto de lei para a contratação de um médico para realizar atendimento exclusivo nas comunidades, pois quando o médico vai para o interior, alguns postos da área urbana ficam sem médico”.

“Até quinta-feira, irá entrar nesta casa o projeto de lei para aumentar o repasse financeiro para a fundação hospitalar. Dessa forma, o hospital ficará responsável pela contratação de um ortopedista e de um anestesista para cobrir o atendimento nesta área”, completou, respondendo ao questionamento do vereador Clésio de Oliveira Sousa.

O presidente da Casa Legislativa, vereador Mário Coan (PSDB), também falou sobre o tema. “A saúde do município, que tinha uma previsão de gasto durante o ano de aproximadamente R$ 5 milhões, gastou quase R$ 13 milhões. Este valor equivale 20,41% do orçamento, quando o obrigatório é 15%. O que eu quero dizer é que o superávit da prefeitura foi distribuído, grande parte, no valor de R$ 7.140.000,00, como transferência além da obrigação legal para a saúde. Então, é muito estranho vermos faltar coisas básicas”, destacou.

Ordem do dia

Na ocasião, foram aprovados por unanimidade três projetos de lei. Um deles, autoriza o repasse de recurso financeiro no valor de R$ 62,5 mil para entidades. Com isso, o valor fica assim distribuído: R$ 2,5 mil para a Pastoral da Criança, R$ 20 mil para a Associação de Senhoras Rotaryanas, R$ 5 mil para o Grupo de Escoteiros da Encosta da Serra, R$ 5 mil para a Febave, na Casa da Cidadania e R$ 30 mil à Associação Orleanense de Assistência Social.

Os outros dois projetos dizem respeito à reposição das perdas aos subsídios dos vereadores da atual legislatura e do prefeito do atual mandato. O valor corrige apenas a perda proveniente da inflação. O reajuste percentual é de 7,12% e está de acordo com o Índice Nacional de Preço ao Consumidor – INPC do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE,

Além disso, três indicações foram aprovadas. Foi solicitado ao Poder Executivo que restaure a ponte na Vila Nova; as pontes de madeira na margem direita da estrada que liga Orleans a Pindotiba, pois os movimentos dos caminhões estão deteriorando as passagens; e, por fim, a restauração do pátio do centro da comunidade da Taipa e o patrolamento da estrada que liga a Taipa à comunidade do Mar Grosso, de São Ludgero.

  • d78318f117e8e93b314d0a830907b7ea
  • e9ab8567b25ab72dbab31494d23ba113
  • e6b419033985b8ab321636dd321b09f8