Saúde

Após ataque hacker, sistema do SUS já tem previsão para ser restabelecido

Em nota, Ministério da Saúde afirmou que processo de recuperação dos registros dos brasileiros vacinados contra a Covid-19 foi finalizado sem perda de informações

Divulgação

Poucos dias após um ataque hacker tirar a plataforma ConecteSUS, que fornece aos brasileiros o certificado de vacinação contra a Covid-19, do ar, o Ministério da Saúde afirma estar trabalhando o mais rápido possível para restabelecer o sistema.

Neste domingo (12), o órgão afirmou em nota que não houve perda de dados e informações. Já o ministro Marcelo Queiroga que a expectativa para o retorno do sistema é na próxima terça-feira (14).

Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que o processo de recuperação dos registros dos brasileiros vacinados contra a Covid-19 foi finalizado sem perda de informações. “Todos os dados foram recuperados com sucesso”, diz a nota.

Segundo a pasta, vários sistemas já foram restabelecidos e a expectativa é que os outros estejam disponíveis para a população ainda nessa semana. Conforme Queiroga, a expectativa é restabelecer a plataforma até a terça-feira (14). “Acredito que até terça-feira, né? Pelo menos essa é a expectativa nossa”, comentou o ministro para a TV Globo.

Certificado de vacinação para viajantes

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou neste sábado (11) que o governo federal deve exigir comprovante de vacinação contra a Covid-19 para viajantes que entrarem no país.

O governo havia determinado que os viajantes poderiam cumprir quarentena de cinco dias sem a necessidade de apresentar o comprovante, devido ao ataque hacker.

Na nova decisão, o ministro assinalou que a substituição da apresentação do passaporte de vacina pela quarentena deve ser aplicada somente a viajantes que não sejam elegíveis para a vacinação, de acordo com critérios médicos. Agora, estrangeiros que não puderem comprovar a imunização serão impedidos de entrar no Brasil.

A nova portaria, segundo a Casa Civil informou ao sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, deve ser publicada o mais rápido possível, já que a decisão de Barroso passa a valer a partir da notificação dos órgãos do governo envolvidos no controle das fronteiras. A comunicação oficial deve sair do STF nesta segunda-feira (13).

Relembre o caso

A invasão ao site ocorreu na sexta-feira (10) e o grupo hacker Lapsus$ Group assumiu a autoria. Entre os links afetados estão o site do Ministério da Saúde, o Painel Coronavírus, o e-SUS Notifica, o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização e o Conecte SUS, que exibe dados de vacinação contra a Covid-19.

Na sexta-feira, ao tentar acessar o portal da pasta da Saúde, os usuários se depararam com uma mensagem. “Os dados internos dos sistemas foram copiados e excluídos. 50 TB (Terabyte) de dados estão em nossas mãos.” Ainda de madrugada, o informe do grupo ficou indisponível. As plataformas, contudo, seguem fora do ar.

A Polícia Federal e o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República foram acionados no mesmo dia para investigar o caso.

O Núcleo de Operações de Inteligência Cibernética já começou a realizar perícias preliminares e constatou que os bancos de dados não chegaram a ser criptografados pelos hackers.

O ataque cibernético atrasou a implementação da portaria editada pelo governo federal para regular a entrada de viajantes internacionais no País, como forma de frear a contaminação pela variante Ômicron da Covid-19.

*Com informações do portal Agência Brasil, Estadão e TV Globo e ND+

Notícias Relacionadas

Após ataque hacker, SC pede que municípios sigam vacinando contra Covid

Site do Ministério da Saúde e ConecteSUS estão fora do ar

Jovem é arrastado por 90 metros após acidente na BR-470 e motorista foge

PRF conseguiu identificar o condutor do carro e caso será enviado à Polícia Civil para abertura de inquérito

Carro bate em ciclista, mata idoso e motorista foge em SC

Acidente aconteceu por volta das 19h30 de domingo

Apesar da alta nos casos, SC tem menor taxa de letalidade por Covid-19 no Brasil

A taxa de letalidade considera o número de mortes em relação à quantidade de pessoas contaminadas