Poder Executivo

VÍDEO: Após colocar contas em dia, prefeito de Orleans projeta ações para 2018

Balanço 2017 Jorge Koch

Foto: Ketully Beltrame / Sul in Foco

O prefeito de Orleans, Jorge Koch, em entrevista ao Portal Sul in Foco, falou sobre o primeiro ano de gestão. O chefe do Executivo avaliou de forma positiva os resultados alcançados. Ao quitar R$ 1 milhão de precatórios e R$ 3 milhões de dívidas, chegou ao fim de 2017 com as contas em dia.

Foi possível pagar os salários e o décimo terceiro dos servidores municipais e repassar R$ 100 mil à Fundação Hospitalar Santa Otília – FHSO para que seus colaboradores também recebessem o décimo terceiro. Além disso, há recursos em caixa para investimentos em 2018. Durante a entrevista, o prefeito cita quais serão as prioridades da Administração Municipal. Entre elas, a busca por recursos para resolver o problema de habitação no município.

Koch citou ainda as principais ações realizadas nas áreas da Saúde, Educação, Infraestrutura, Agricultura, Assistência Social, Esporte, Turismo e Cultura. O Carnaval, tema polêmico e com opiniões divergentes entre os moradores da Cidade das Colinas, também foi abordado. No bate-papo, o chefe do Executivo adiantou qual será sua posição quanto a isso em 2018.

Confira:

Portal Sul in Foco – Qual a avaliação deste primeiro ano de gestão:

Jorge Koch: Eu considero positiva. Nós assumimos a Administração Municipal no dia 1º de janeiro de 2016 com grandes problemas, principalmente na folha de pagamento, que, no mês de dezembro, estava em 61%. A Prefeitura tinha diversas dívidas e diversos pagamentos em precatórios não efetuados. Ao longo do ano, conseguimos reduzir a folha de pagamento para 48%, conseguimos pagar R$ 1 milhão de precatórios, R$ 3 milhões de dívidas da gestão anterior e otimizar os recursos. Então, posso dizer que estamos muito felizes. Finalizamos com as contas em dia. No dia 15 de dezembro, pagamos o décimo terceiro. No dia 22 de dezembro, pagamos o salário do mês e, felizmente, no dia 30, fechamos o ano com bom dinheiro em caixa. Com isso, poderemos iniciar obras e serviços a partir do início de 2018. Então o ano de 2017 foi realmente positivo. Espero que o próximo seja tão bom ou melhor do que este que passou.

Portal Sul in Foco – Além destes, foram encontrados outros desafios ao assumir o Executivo de Orleans:

Jorge Koch: Eu diria que a desmotivação da nossa sociedade e dos servidores públicos. Eu percebi que faltava algo na Administração Municipal. Ao longo do ano, conseguimos promover alguns eventos com o intuito de aumentar a autoestima dos orleanenses. No dia 30 de agosto, inauguramos a revitalização das Esculturas do Paredão, uma obra de arte que estava abandonada. No mesmo período, resgatamos a Semana Cultural, que estava impregnada no sentimento dos orleanenses, mas que não havia acontecido mais nada em relação à cultura. No mês de dezembro, desde o dia 3, com a decoração e a programação de Natal na Praça Celso Ramos, nós resgatamos a motivação e a credibilidade do orleanense junto ao poder público. No dia 10 de abril, quando fomos cobrar o IPTU, 83% dos contribuintes pagaram em dia. Naquele dia, arrecadamos R$ 3.290.000. Já em abril, nos primeiros meses de nossa administração, as pessoas acreditaram na gente. Por isso, eu creio que o maior desafio foi resgatar a credibilidade, trazer o servidor junto conosco e acabar com o ponto facultativo. Trabalhamos todos os dias sem emendar após os feriados. Isso realmente era necessário. Hoje, a Prefeitura funcionada das 8h às 12h e das 13h às 17h30min. Isso foi uma mudança estrutural em nossa gestão.

Portal Sul in Foco – Principais ações por pasta:

Saúde
Jorge Koch: Quando assumimos, havia uma enorme dificuldade por conta da falta de médicos nos postinhos. Nós tínhamos nove postinhos e os médicos estavam acabando o contrato no mês anterior. Tivemos que esperar três meses para elaborar o concurso público e, quando ficou pronto, no fim de abril, nós conseguimos contratar nove médicos. Todos os ESF’s têm médicos. A média por mês que o profissional consulta em cada ESF é de 500. Então são 4,5 mil consultas que estamos oferecendo à nossa população. Quando tem consulta, tem requisição de exames e cirurgias. Então, eu atribuo que, na Saúde, foi o valor do investimento de 23% da arrecadação, quando a Constituição diz que o mínimo é 15%. Nós conseguimos transferir 23% e colocar nove médicos nos ESF’s. Essas são as vitórias que eu considero nesta área.

Educação
Jorge Koch: O secretário Lindekson Resin, desde o início, esteve junto conosco. Implantamos a metodologia do Sistema Positivo, éramos uma das poucas Prefeituras que não tinha essa metodologia, que é um sistema de apostilamento da educação. Qualquer pai que sonha em colocar o filho na rede particular vai pagar, em média, R$ 400 de mensalidade. Aqui em nossa cidade implantamos o Sistema Positivo, que conta com uma apostila que entregamos bimestralmente. Isso tudo para que realmente haja motivação de melhorar a qualidade do ensino. O Sistema Positivo foi uma grande vitória. Outra, com certeza, é a otimização dos recursos junto aos professores. Não significa que melhoramos os salários dos professores, mas os deixamos um pouco mais satisfeitos em sala de aula. Este ano não conseguimos fazer grandes reformas físicas, mas, no ano que vem, está mapeada a construção da Creche Flávio Bussolo e a reforma de algumas escolas. Eu creio que a educação foi um ponto positivo em 2017.

Secretarias de Obras e Agricultura
Jorge Koch: O secretário Euclides Pilon, todos conhecem. Trabalha manhã, tarde, noite, sábado, domingo. Dirige caminhão, retroescavadeira. Também muito bom. Conseguimos revitalizar a grande maioria das estradas do interior, que, há muito tempo, já não recebiam a manutenção adequada.

Quando assumimos, conseguimos fazer que, durante todo o ano, todas as estradas contassem com a nossa presença, com a presença das máquinas, levando areão e arrumando as vias que estavam abandonadas. Realmente, foi um bom trabalho. Ainda ontem eu peguei o carro da Prefeitura e dei uma volta em todo o interior, fiz sete comunidades. Foram 4h30min dentro do carro olhando as estradas de todas elas. Claro que a gente defende a nossa administração, mas, de zero a dez, ontem eu daria a nota nove para as estradas do interior. Várias pontes foram arrumadas e vários bueiros e tubulações foram colocados nessas estradas para melhorar a trafegabilidade.

Com isso, a gente garante, na minha visão, a permanência do agricultor na sua propriedade. A nossa agricultura é muito forte. O fumo, o gado leiteiro, a avicultura, a bovinocultura, a suinocultura, a agropecuária e a agroindústria, tudo isso é muito forte. Nós vamos trabalhar cada vez mais para incentivar o homem do campo, com a melhora das estradas, com o asfaltamento em algumas comunidades e, principalmente, com projetos, como a internet rural, que também vemos que será uma maneira de manter o homem no campo e melhorar a produção local.

Assistência Social
Jorge Koch: Problema sério. É uma secretaria emblemática porque nós temos uma grande demanda, que é a habitação. Há muitos anos, Orleans não recebe mais nenhum recurso federal ou estadual para fazer uma casa. Nós temos uma grande demanda de fila de espera de pessoas que precisam da reforma e de uma casa nova. Este será um desafio em 2018, arrumar recursos para que a gente possa construir algumas casas e distribuir para as pessoas necessitadas. Em Orleans, há 30 famílias que recebem aluguel social. São pessoas que, em determinado momento, tiveram suas casas em situação de risco devido à chuva, ao desmoronamento ou pelo vento. São pessoas cuja casa está em estado crítico e precisamos tirar a família de lá e garantir outra. Precisamos conseguir recurso, construir uma casa e colocar no local onde a família morava. Este é um desafio grande. Outro eu entendo que é um problema social. Pessoas que recebem um ou dois salários mínimos e pagam quase 50% desta renda no aluguel. Aí elas vêm nos procurar, pois querem uma casinha para não pagar mais aluguel. Esta é uma questão financeira, de cada família e fica difícil para a Administração Municipal solucionar o problema de todos. Eu não tenho dúvidas: no ano que vem, nosso desafio na Assistência Social será o setor de habitação, temos que melhorar muito, pois faz mais de dez anos que Orleans que não consegue uma casa própria para dar para uma pessoa carente e necessitada.

Esporte, Cultura e Turismo
Jorge Koch: No esporte, o Dão tem feito um belo trabalho. Fizemos vários campeonatos da cidade, fizemos campeonatos interbairros. Ultimamente, Orleans não vinha participando dos Jogos Abertos. Neste ano, tivemos representantes em quatro modalidades: Taekwondo, com o mestre Luiz Paulo Campos, o Paulinho; Ciclismo; Tênis; Tiro ao Prato e Tiro Armas Curtas. Então eu creio que foi um resgate de algo que há muito tempo também estava parado.

Na cultura, volto a citar a revitalização das Esculturas do Paredão e o resgate da Semana Cultural. Além disso, temos os escritores da Academia Orleanense de Letras – Acol que apoiamos diretamente, adquirindo uma quantidade de livros para que eles possam escrever, produzir. Incentivar cada vez mais a escrita é uma de nossas funções.

Quanto ao turismo, quando fizemos a festa do município em agosto, com a Semana Cultura, e agora, com a bela decoração de Natal, quando investimos R$ 250 mil para decorar toda a avenida e toda a praça, eu creio que isso é turismo. É um turismo iniciante, mas não tenho dúvida, que, a partir deste Natal, teremos grandes Natais daqui para frente e que o turista regional, por falta de opção, acabará vindo para Orleans. Sempre disse, quem não tem dinheiro para ir a Gramado, vem para Orleans. E muitas pessoas vieram conferir e saíram daqui contente, achando muito bonito. Eu creio que achamos uma cereja no bolo para ser explorada cada vez mais, que é esta decoração natalina e, com isso, movimentamos e somos a mola propulsora do comércio. O comércio precisa de dinheiro, precisa vender e, através deste Natal, acredito que deu um salto de qualidade nas vendas de fim de ano.

Sul in Foco – Nos próximos anos, a população poderá esperar pelo Carnaval como já existiu em outros anos na cidade?

Jorge Koch: Não. Eu vou afirmar categoricamente: Carnaval em 2018 tolerância zero, não haverá nem sequer decoração. É zero a possibilidade de Carnaval em 2018 por falta de apoio e de recurso por parte do Governo Estadual ou Federal e a gente não tem clima para fazer Carnaval como foi no passado. Eu creio que a nossa descoberta seria a Semana Cultural em agosto e o Natal que é 30 dias de decoração e programação. O Carnaval são três ou quatro dias, as pessoas ficam na praça bebendo, causa incômodos. Uma decoração que custa caro para poucos dias. Para o Natal, são 30 dias, movimentando o comércio e mobilizando as famílias. Por isso, irei investir cada vez mais no Natal e não no Carnaval. Então, já antecipando, em primeira mão, não haverá absolutamente nada no Carnaval.

Sul in Foco – Como você avalia o trabalho junto ao Poder Legislativo?

Jorge Koch: A tripartição dos três poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário – funcionou exatamente como foi previsto. O Legislativo tem a função de legislar e fiscalizar, tem cobrado do Executivo, sem problema nenhum. Todos os vereadores foram parceiros da Administração Municipal. O Judiciário, através dos juízes e promotores, fez sua parte. O Executivo também fez a sua. Ninguém se intrometeu ou cruzou na frente do outro, cada qual fez a sua atuação. Parabéns ao vereador Lucas Librelato que conduziu a Câmara com maestria e parabéns ao vereador Pedro João Orbem que foi eleito presidente para 2018, grande parceiro, não tenho dúvida que fará um belo trabalho. Eu sempre tenho colocado: nós encaminhamos um Projeto de Lei para a Câmara, os vereadores farão a análise, irão discutir para aprovar ou rejeitar. Não é nada empurrado ou cobrado por parte do Executivo. Vereador foi eleito para legislar, analisar e aprovar as leis. Se a maioria entender que não está certo, devolve para o Executivo, que faremos uma avaliação melhor. Nada a reclamar da Câmara de Vereadores, nada a reclamar dos 11 vereadores. Independente de partido político, foram grandes parceiros da cidade de Orleans.

Quais as prioridades para 2018 e o que a população pode esperar da Administração Municipal nos próximos três anos?

Jorge Koch: Pode esperar muito trabalho. Se trabalhamos neste ano, vamos trabalhar ainda mais no ano que vem. Será um ano crucial, um ano emblemático porque nós iremos receber recursos do Governo Federal e Estadual. Nós temos uma grande expectativa do Avançar Cidades, que é um financiamento que a Câmara de Vereadores aprovou, de até R$ 12 milhões. Até este valor, não significa que será tudo isso. Pode ser menos e será utilizado na pavimentação de ruas de bairro. Temos o Fundam, que é o Fundo de Apoio aos Municípios, aguardamos um recurso entre R$ 3 milhões e R$ 3,5 milhões para fazer obras aqui no centro da cidade. Temos a cobrança do IPTU, que é uma boa quantia a ser arrecadada. Neste ano, colocamos uma prioridade que foi lá na Pindotiba, com a revitalização daquela praça e daquela quadra coberta, foram R$ 200 mil. Na Cohab também, revitalizamos a praça e a quadra com R$ 160 mil. Então, realmente, o que queremos cada vez mais é criar espaços públicos para que nossas crianças, adolescentes e jovens tenham alternativa de vida. No ano que vem, também está nos nossos planos realizar um bom investimento na praça na Lomba, do lado do cemitério. Reformar a pista de skate e a quadra de futebol de areia. Fazer uma praça tão bela quanto a do centro da cidade. Iremos investir um bom recurso do IPTU para, cada vez mais, dar um espaço público para nossa juventude.

Considerações finais:

Jorge Koch: O Sul in Foco foi um grande parceira da nossa gestão. Não adianta trabalhar e fazer obras se não for possível divulgar. E essas informações chegam através dessa de outras entrevistas. É dessa forma que os munícipes conseguirão saber o que foi feito durante a Administração Municipal de Orleans. Estendo os agradecimentos a toda imprensa da região. Feliz ano novo a você que confere esta entrevista neste momento. Eu quero agradecer de coração a você e toda sua família, que foi a grande responsável pelo sucesso da Administração Municipal em 2017. Nós estaremos juntos no próximo ano, de coração aberto. Um abraço e um beijo a todos que têm nos acompanhado e nos auxiliado.

Notícias Relacionadas

TRF4 manda afastar do cargo prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, preso na Operação Chabu

Determinação é que fique 30 dias fora das funções e não faça contato com demais suspeitos de envolvimento na operação. PF investiga a violação de sigilo de operações policiais

Presidentes das ACIs do Extremo Sul se reúnem para Plenária da Facisc, em Orleans

Desconto nos salários: prefeito, vice e secretários de Braço do Norte cumprem doação de 20%

Ao todo foram depositados R$ 6.594,30 na conta do Fundo da Secretaria Municipal de Saúde e R$ 6.594,30 na conta do Fundo Municipal de Assistência Social, totalizando R$ 13.188,60.

Garis participam de café comemorativo com prefeito em celebração ao dia da profissão

O prefeito Valdir aproveitou a oportunidade para agradecer aos colaboradores