Geral

Após macaco ser encontrado morto na cidade, bloqueio vacinal está em fase de finalização

Não se sabe se o animal possui ou não a doença da febre amarela, mas as providências foram tomadas.

Foto: Divulgação

O Município de Tubarão está sob investigação, após um morador do bairro de Oficinas ter encontrado um macaco morto em frente a sua residência. Não se sabe se o animal possui ou não a doença da febre amarela, mas as providências foram tomadas. A Fundação Municipal de Saúde (FMS) orienta a todos os moradores de bairros próximos a comparecerem as respectivas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para, caso não tiverem a vacina, receberem a dose.

O animal, conhecido como Sagui, foi retirado pela Unidade de Vigilância de Zoonoses e encaminhado imediatamente para o Hospital Veterinário da Unisul, que faz parceria com o município e é responsável por coletar o material para análise e investigação do óbito. Depois que coletado, o material é enviado para um laboratório autorizado do estado, onde o resultado deve sair em torno de 20 a 30 dias.

A Vigilância Epidemiológica do Município e a do estado de Santa Catarina foram notificadas sobre o caso. Assim, diante do episódio, em um raio de 300 metros do ponto zero, que é o ponto onde o animal foi encontrado, deve-se fazer um bloqueio vacinal nos moradores.

O bloqueio vacinal foi iniciado e está em progresso. De acordo com o diretor-presidente da FMS Daisson José Trevisol, o serviço deve finalizar na noite desta terça-feira (5). “Já iniciamos o bloqueio, o protocolo está sendo seguido e esperamos finalizar até as 22 horas desta terça, para que a gente consiga imunizar a totalidade certa da população dentro desse raio”.

“Quem mora ou trabalha na região das unidades de Oficinas I, Oficinas II e Morro da Caixa, e não tiverem a vacina contra a febre amarela, devem procurar salas de vacinas para se imunizarem”, ressalta a gerente de saúde Chaiana Marcon.

Sobre a vacina contra a febre amarela

Em janeiro de 2018, a vacina foi inclusa no calendário de vacinação para crianças de 9 meses e adultos que fossem viajar para locais de risco. Depois de alguns estudos no cenário epidemiológico a nível nacional, o Ministério da Saúde (MS), decidiu incluí-la no calendário para toda a população – destes de 9 meses até 59 anos – determinando todo o país como área de recomendação da vacina.

Todavia, a vacina é contraindicada para crianças menores de 9 meses, gestantes, mulheres amamentando crianças de até 6 meses, pacientes em tratamento de quimioterapia, radioterapia ou com corticoides, em doses elevadas. Em caso de dúvida, um médico deverá ser consultado para solicitar a autorização.

Colaboração: Comunicação Prefeitura de Tubarão

Notícias Relacionadas

Procon autua posto de combustíveis por preço abusivo em Criciúma

Operação irá fiscalizar 40 estabelecimentos do município, três já foram autuados.

São Ludgero realiza eventos para cidadãos conhecerem os serviços e benefícios sociais disponibilizados na cidade

Os eventos explanarão sobre os direitos sociais para pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica

Utilidade Pública – Tubarão Saneamento pede atenção aos motoristas ao trafegar pela cidade

Atenção deve ser redobrada principalmente com as fortes chuvas que atingem a Cidade Azul

Município e Criciúma Esporte Clube assinam convênio que beneficia jovens da cidade

Assinatura ocorrerá nesta quinta-feira (16), às 14h, na Sala de Atos do Paço Municipal Marcos Rovaris