Saúde

Câncer é principal causa de morte em 32% dos municípios de SC

Um dos principais motivos dessa estatística é a dificuldade que os pacientes enfrentam para conseguir começar o tratamento, segundo médicos.

Foto: Divulgação

Santa Catarina é o segundo estado do Brasil com mais cidades em que o câncer é a principal causa de morte. Esse é o caso de 95 dos 295 municípios catarinenses, o que representa 32%. Os números foram divulgados na tarde desta segunda-feira (16) pelo Ministério da Saúde. As informações são do G1SC.

O estado catarinense só perde para o Rio Grande do Sul. Os dados são do Sistema de Informações de Mortalidade. Pela primeira vez, esses dados foram agrupados e analisados pelo Conselho Federal de Medicina e pelo Movimento Todos Juntos Contra o Câncer.

Nesse ranking catarinense, entre as cidades de maior porte, Blumenau, no Vale do Itajaí, aparece em primeiro. Em 2015, foram 447 mortes em decorrência do câncer, 25% do total de mortes naquele ano na cidade.

Os dados mostram uma concentração maior das mortes em regiões mais desenvolvidas, justamente onde a expectativa de vida e o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) são maiores.

Médicos também dizem que um dos principais motivos dessa estatística é a dificuldade que os pacientes enfrentam para conseguir começar o tratamento.

“É muito importante, a partir desses dados, e por isso esse trabalho é extremamente importante, porque ele leva para o gestor um alerte, dizendo ‘olha só, aqui no seu município está acontecendo um fenômeno que talvez você não esteja percebendo'”, afirmou o médico Luiz Santini, que foi presidente do Instituto Nacional do Câncer (Inca) por 10 anos.

Notícias Relacionadas

Estado garantirá tratamento anual de R$ 2,7 milhões a criança de Laguna com AME, decide TJ

De acordo com os autos, a perícia médica comprovou que a criança, natural de Laguna, precisa do remédio e que inexiste, na rede pública de saúde, tratamento para a doença.

Polícia Civil apresenta dados positivos na repressão de roubos em Criciúma com prisões realizadas e criminosos identificados

Comparado com 2018, os dados indicam redução de roubos com uso de arma de fogo, roubos em residência e roubos com mais de três autores, com estabilização da quantidade de roubos gerais.

IBGE inicia a Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017/2018 na região

A POF é o levantamento mais detalhado sobre os padrões de consumo dos brasileiros. Baseado nessa pesquisa, o IBGE atualiza a cesta de itens do Índice de Preços ao Consumidor Amplo - IPCA.

Morador é executado com cinco tiros em Criciúma

Segundo informações, a vítima saiu recentemente do presídio e possui passagens por pedofilia e estupro de vulnerável.