Clima

Ciclone Yakecan chega em SC nesta quarta-feira com ventos de 100 km/h

No mesmo dia, tempestade se aproxima, chega ao auge e se afasta do Estado

Divulgação

O ciclone subtropical que pode trazer rajadas de vento de até 100km/h em Santa Catarina irá chegar no Estado durante esta quarta-feira (18). De acordo com o meteorologista da Defesa Civil, Felipe Theodorovitz, a tempestade Yakecan se desloca do Rio Grande do Sul para SC durante a madrugada e percorre a costa catarinense pelo Litoral Sul até a Grande Florianópolis pela manhã.

No final da tarde desta terça-feira (17), imagens de satélite mostraram o ciclone se deslocando pela costa sul gaúcha. De acordo com o meteorologista, durante a madrugada, o Yakecan chega no Litoral Sul entre a madrugada e o amanhecer de quarta:

— A partir da madrugada os ventos já devem começar a se intensificar no Litoral Sul, e em Florianópolis ficam mais fortes até o final da manhã e início da tarde.

Theodorovitz explica que a direção do vento é de Oeste ao Sudoeste, e na Capital, pode afetar principalmente o sul da Ilha, com rajadas de até 90 km/h.

Conforme o meteorologista, na quarta-feira (18), o ciclone deve percorrer todo o trajeto em Santa Catarina, do momento que chega no amanhecer — quando os ventos se intensificam — até após o meio-dia — quando as rajadas diminuem a velocidade.

— A partir da tarde, a gente já deve ter esse sistema se deslocando para o alto mar. A gente deve continuar com rajadas de vento, mas essas rajadas já perdendo força. Então ela [tempestade] vai aumentando de intensidade na primeira parte do dia e depois vai perdendo força — explica Theodorovitz.

Todo o Estado deve sentir a influência do Yakecan ao longo de quarta, mas em diferentes intensidades, afirma o meteorologista. As rajadas de vento em direção ao Litoral Norte de Santa Catarina devem ser de intensidade moderada a forte, de 50 km/h a 70 km/h, o que de acordo com Theodorovitz, já é intensa. No Oeste de SC, o vento deve variar entre 40 km/h a 55km/h.

Como ciclone infuencia a neve, chuva e o mar em SC

O meteorologista da Defesa Civil explica que o ciclone subtropical deve “jogar” umidade para o Estado, o que favorece a condição de chuva no Litoral e de neve e chuva congelada no Planalto Sul, principalmente na Serra Catarinense. Essa condição se mantém até a manhã de quinta-feira (19).

A Defesa Civil explica que no litoral catarinense, principalmente entre o Sul de SC até a Grande Florianópolis, as ondas devem ter picos entre 3,5 metros até 4 metros próximo à costa — já mais afastado da orla, chega a 5 metros de altura. Segundo Theodorovitz, o mar agitado favorece o aumento da ressaca e a possibilidade de alagamentos costeiros, que afetam rodovias, ciclovias e calçadas à beira-mar.

O órgão alertou para o alto risco para ocorrências como destelhamento de casas e queda de árvores e postes. De acorco com o meteorologista, o vento afeta a sensação térmica, que pode chegar a -10ºC na serra catarinense. Theodorovitz reforçou a necessidade do cuidado redobrado com idosos, pessoas em situação de rua, população mais vulnerável.

Com informações do NSCTotal

Notícias Relacionadas

SED se pronuncia sobre esfaqueamento em escola de Criciúma

Secretaria de Estado da Educação informa que está apurando as informações sobre o caso ocorrido na noite de sexta-feira no bairro Mina do Mato

Rua rachada em SC corre risco de desabar e famílias são orientadas a deixar casas, diz prefeitura

Análise de um geólogo atestou que a rua, em São Bento do Sul, possui "alto risco para desmoronamento".

Mais caro que gasolina: óleo diesel é encontrado a mais de R$ 8 em duas cidades de SC

Pesquisa da ANP avaliou valores entre os dias 19 e 25 de junho e mostra cidades de Santa Catarina com óleo diesel a mais de R$ 8

Produtores de Soja recebem prêmio do Grupo Olim

Prêmio Produtividade de Soja Safra 2021/2022 foi entregue nesta quinta-feira (23)