Geral

COOPERMILA instala mais uma banca de regulador de tensão na rede de distribuição

Conforme o presidente, Alcimar Damiani De Brida, o investimento foi feito visando prevenir futuras sobrecargas e quedas de tensão.

COOPERMILA instala mais uma banca de regulador de tensão na rede de distribuição

Foto: COOPERMILA

A COOPERMILA, em busca da melhoria da qualidade do serviço de distribuição de energia elétrica e satisfação dos associados, realizou, no último sábado, dia 12, a conexão de uma banca de três reguladores de tensão no alimentador da Rocinha. Além de atender a mineração, abrange também as comunidades de Santa Rosa, Rio Queimado, Palermo, Rocinha, Novo Horizonte, Rio do Rastro e Rio Apertado.

A cooperativa constatou a necessidade da instalação de mais uma bancada de reguladores de tensão na extensão de suas redes de distribuição de energia elétrica e assim o fez. O investimento, de aproximadamente R$ 50 mil, de recursos próprios, garantirá a regulação da tensão e continuidade da qualidade do fornecimento de energia elétrica. Conforme o presidente, Alcimar Damiani De Brida, quedas de tensão são ocorrências normais resultantes da extensão das redes de distribuição, onde os pontos de consumo estão espalhados em grandes áreas localizadas distantes da subestação.

O regulador de tensão é um equipamento instalado em redes de distribuição, que tem por finalidade a manutenção da tensão, mantendo-a constante, ajustando a tensão da rede, resultando em um fornecimento sem oscilação e uma melhora da qualidade de energia elétrica. “O investimento foi feito para prevenir futuras sobrecargas e quedas de tensão. A manutenção preventiva garante o fornecimento de energia de qualidade em todos os períodos do ano, dos quais ocorrem registro de aumento considerável no consumo de energia”, declarou o presidente.

Notícias Relacionadas

“Eu não tenho medo de ameaça”, dispara vereadora Ema Hoffman contra presidente da Coopermila

A fala ocorreu na sessão da Câmara de Vereadores de Lauro Müller na noite desta segunda-feira (1°)

Empresa terá que pagar multa por corte indevido de energia elétrica em Criciúma

O caso foi julgado pelo Juizado Especial Cível da comarca de Criciúma em pouco mais de um mês do início da ação. A rapidez se deve ao uso do sistema e-proc.

Três anos depois de inaugurada, Ponte Anita Garibaldi continua “sem dono”

Consumo de energia elétrica registra queda de 3,4% em junho, diz ONS

Comparação é feita com o mesmo mês do ano passado