Educação

Copa do Mundo

Foto: Divulgação

Há exatamente quatro anos escrevi neste espaço sobre a expectativa e a emoção do povo brasileiro para a Copa do Mundo, apesar das crises pelas quais o país atravessava. As cores verde e amarelo tomaram conta de tudo. Diante da imponência da Bandeira Nacional desfraldando ao som do mais lindo hino do mundo, o espírito patriótico reavivou.

A alegria das músicas, as lindas imagens coloridas, as atraentes vinhetas cercearam nossa razão, e tomados de emoção alimentamos a esperança da realização de um lindo sonho, para um mês depois passarmos pelo maior vexame com a derrota de uma seleção desorganizada, sem espírito de equipe, desequilibrada, arrogante, que deixou marcas indeléveis.

Quatro anos se passaram e cá estamos nós para registrar o cenário que hoje se desenha, bastante diferente de 2014. Muita coisa mudou, mas para pior. O mar de lama em que a nação foi jogada pelo desgoverno, violência, corrupção, desemprego, foi tirando o ânimo dos brasileiros, e graças a coragem dos operadores da Lava Jato desfez-se a máscara com a prisão de dirigentes do mais alto escalão (FIFA) prejudicando a imagem do futebol. Talvez seja esse um dos motivos para a nossa indiferença, mas ainda assim prefiro acreditar que é fruto do amadurecimento do povo percebendo que um país não se faz só com futebol e carnaval; existem questões mais importantes a serem pensadas. E tudo depende da atitude do povo…

O nível de violência aumenta a cada dia, o número assustador de desempregados, a recente paralisação dos caminhoneiros provando ser possível unir forças e lutar pelos nossos direitos. Apesar de terem sido traídos pelo comodismo dos que esperam pelos outros, os heróis da estrada provaram que eles podem parar o país, e quase o fizeram.

Esses e tantos outros motivos encontraremos para entender a inércia que se abate sobre o brasileiro, mas ainda acredito que junto com a maturidade do povo, outro grande motivo é a indefinição na política da nação. A incerteza tolhe todas as esperanças. Estamos a quatro meses da grande eleição nacional e sequer temos candidatos definidos. Como ter cabeça para o futebol se quase 80% dos candidatos cogitados estão envolvidos em crime de corrupção? A ganância pelo poder corrói o caráter. Quem poderá assumir o comando deste barco à deriva para dar uma direção digna? Está difícil…

Recentes pesquisas mostram que mais de metade da população está indiferente à Copa do Mundo. E para ratificar a teoria de que a consciência cidadã começa a despertar, 77% dos brasileiros estão mais interessados pela Lava Jato do que pela Copa do Mundo. É um sinal de que as urnas em outubro podem trazer surpresas. Quem sabe é a hora de oxigenar a política brasileira, fazer um recomeço apostando no novo, fazendo com que os parasitas deem lugar à gente com vontade de mudar.

Diante disso, vale lembrar que passada a Copa do Mundo, defendida um grupo seleto de jogadores, acontecerá o maior evento nacional, e a bola estará nas mãos de milhões de brasileiros que com garra e determinação irão às urnas apostar no gigante chamado BRASIL. É a nossa vez…

Notícias Relacionadas

Inspirações para o ano novo

Saint Bier lança linha edição limitada de rótulos temáticos no embalo do Mundial da Rússia

Marca enaltece os países de maior tradição cervejeira que estão representados no evento.

Prefeitura de Orleans atenderá normalmente no próximo jogo da seleção brasileira

Prefeitura de Orleans atenderá em horário diferenciado durante a Copa do Mundo

Prefeito assinou decreto que estabelece o expediente dos órgãos, entidades, fundações, autarquias e entidades ligadas à Administração Municipal.