Segurança

Denúncia de bullying será investigada em Tubarão

Uma das acusações é que um professor e outra aluna do colégio passaram tinta e cola no cabelo da criança.

Foto: Divulgação

Uma mãe está denunciando episódios de bullying sofridos por sua filha, uma menina de dez anos, na escola Hercílio Luz, em Tubarão. Uma das acusações é que um professor e outra aluna do colégio passaram tinta e cola no cabelo da criança. A mãe também afirma que a filha sofre bullying do professor por conta de sua aparência. A direção da escola nega as acusações.

Pelas redes sociais, a mãe, Simone Bilbao Brasil, divulgou uma foto da filha com o cabelo sujo de cola, juntamente com um texto em que diz que a situação foi causada por uma aluna e por um professor durante uma atividade na tarde de quinta-feira.

“Minha filha é uma menina alegre, carismática, e agora não está querendo ir para a escola, com vergonha e com medo de que possam fazer alguma coisa novamente”, escreveu Simone.

A mulher também registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança, Mulher e Idoso de Tubarão. Simone contou que a filha teria feito uma brincadeira com o professor e dito que iria pintá-lo. O profissional e outra aluna, então, teriam colocado tinta na criança. Depois, o professor teria entregue um pote de cola para que a aluna passasse no cabelo da menina.

Simone Bilbao Brasil registrou ainda que a filha sofre bullying deste mesmo professor, que, de acordo com a mãe, costuma dizer que a menina não pode dançar “porque não há roupa que caiba nela”.

Por telefone, Simone conversou com a reportagem do DS e acrescentou que a filha tem sofrido bullying o ano inteiro por conta de seu peso, e que a situação já foi levada à escola. Ela também afirmou que pretende tirar a criança do colégio.

Delegada vai apurar os fatos

Responsável pela Delegacia de Proteção à Criança, Mulher e Idoso de Tubarão, a delegada Jucinês Dilcinéia Ferreira confirmou o registro do boletim de ocorrência. Ela afirmou que irá chamar a mãe na delegacia para ouvi-la e entender melhor a situação. “Só depois disso vou saber como me posicionar”, afirmou.

Diretor diz que monitor tentou evitar situação

O diretor da Escola de Educação Básica Hercílio Luz, Frederico Bresciani, esclarece que o caso não envolveu um professor da escola, mas, sim, um monitor do Mais Educação, programa do governo que oferece atividades de arte e esporte aos alunos no contraturno escolar.

De acordo com Frederico Bresciani, o monitor relatou que fazia uma atividade usando tintas quando os alunos começaram a se sujar uns aos outros, mas que ele não participou da situação, ao contrário, tentou controlá-la.

“O que houve foi uma ‘guerra de tinta’ que acabou saindo do controle. Faremos uma reunião com monitores, professores e responsáveis pelos alunos na segunda-feira para falar sobre o assunto”, afirmou o diretor.

A respeito da denúncia de bullying por conta da aparência da menina, Frederico também defendeu o monitor. “Ele é professor de dança e atua conosco há mais ou menos três anos. Nunca houve nenhum problema, e ele sempre fez um belo trabalho. É um profissional de confiança, e não acredito que ele falaria uma coisa dessas para uma aluna”, defendeu.

Com informações do Diário do Sul

Notícias Relacionadas

Apoio ao candidato Vitorassi para eleição da Coorsel se intensifica durante reuniões com associados

Na noite de hoje (16), às 19h30min, os associados da comunidade de São Gabriel são convidados a participarem do encontro com os candidatos, em Treze de Maio.

PRF prende quadrilha especializada em furto de roupas em shopping centers na região de Tubarão

Os suspeitos confessaram que furtaram as roupas de lojas da região no final de semana e estavam indo vender as roupas em Tubarão.

Projeto Educanvisa promove saúde em escolas da rede municipal de Lauro Müller

Três pessoas são presas em Tubarão ao pedir doações para entidade que não existe

Os suspeitos foram presos por estelionato na tarde desta segunda-feira (23)