Saúde

Líder de movimento pró-aborto morre após abortar legalmente na Argentina

A Justiça argentina autorizou a investigação da morte de María del Valle González López, 23 anos, em um hospital público.

Divulgação

A Justiça argentina autorizou a investigação da morte de María del Valle González López, 23 anos, em um hospital público. Presidente da Juventude Radical de La Paz, da província de Mendoza, ela morreu após se submeter a um aborto legal em um hospital público. A Justiça apura se houve negligência do poder público.

Segundo o jornal Clarín, o promotor Mariano Carbajal solicitou o histórico médico da jovem e a realização de uma necrópsia para apurar os detalhes da morte. O Ministério Público (MP) de Santa Rosa iniciou a investigação, mas devido à sua complexidade, informa a reportagem, a apuração ficará por conta do MP de San Martín.

Informações oficiais comunicam que María del Valle compareceu ao hospital Arturo Illia, o único de sua cidade, na quarta-feira (7), para solicitar um procedimento judicial de interrupção da gestação. Lá, ela foi prescrito um medicamento — informa o Clarín.

Na sexta-feira (9), ela começou a se sentir mal e foi encaminhada ao principal centro de saúde da Zona Leste de Mendoza, o hospital Perrupato, onde foi detectada uma infecção geral que teria causado sua morte. A morte de de María gerou repercussões de grupos anti e pró-aborto. Ambos se manifestaram nas redes sociais.

Com informações do Gazeta do Povo

Notícias Relacionadas

Tubarão estreia em casa contra Umuarama, líder do Grupo C da LNF

No domingo, às 11h, a TV Brasil transmite duelo Assoeva-RS e Pato-PR

Saúde atualiza novamente procedimentos para aborto no SUS

Portaria foi publicada hoje no Diário Oficial da União

Unisul discute segurança pública com líder do governo na câmara

Esse será o primeiro Ciclo de Palestras, evento realizado pelo Núcleo de Estudos em Sociedade, Segurança e Cidadania da Unisul (Nesc)

Salvaro confirma novo líder do governo na Câmara de Vereadores

Função será exercida pelo vereador Aldinei Potelecki. Decisão será comunicada à Câmara nesta segunda-feira (25)