Poderes Municipais

Moradores pedem aos vereadores mais segurança no acesso ao Bairro Nova Orleans

Em sessão nesta segunda-feira (9), os vereadores abordaram algumas questões sobre a saúde municipal e aprovaram um projeto de lei.

Letícia de Oliveira/Sul In Foco

A sessão da Câmara de Vereadores de Orleans desta segunda-feira (9) contou com a presença dos moradores do Bairro Nova Orleans. Presidido pelo vereador Hildegart Thessmann Durigon, a sessão ainda abordou temas como a saúde e a melhoria do Ginásio de Esportes do Bairro Alto Paraná.

A vereadora suplente Edite Zomer Righetto substituiu o vereador Lucas Librelato que pediu licença de 30 dias. Após a leitura das mensagens e correspondências, os vereadores tiveram a oportunidade de ouvir o presidente da Associação dos Moradores do Bairro Nova Orleans, Carlos Araújo.

O morador explicou o motivo de estarem presentes na sessão desta segunda-feira (9). “Nosso objetivo é mostrar um dos problemas mais graves que enfrentamos em nossa comunidade: a infraestrutura de acesso rodoviário. Temos um grave problema que, caso não se tome uma atitude rápida, pode vir acontecer uma tragédia, como já houve em outros locais com características semelhantes desta rodovia em Orleans”, ressalta Carlos.

Letícia de Oliveira/Sul In Foco

O morador ainda destacou que neste ano já houveram três acidentes no local e há um grande risco de acidentes com vítimas fatais. O representante da Nova Orleans também mostrou fotos de acidentes ocorridos no local para sensibilizar os vereadores. “Na entrada principal do nosso bairro não existe proteção para os veículos e já tivemos mais de um acidente com risco de vida para quem transita por ali. Nosso objetivo é mostrar um problema mais grave. Todos sabemos que já tivemos um acidente fatal nesta mesma rodovia SC-108, no acesso de outro bairro e logo depois foi realizado melhorias nesse local. Hoje acreditamos ser muito difícil acontecer outro acidente com as mesmas proporções naquele local”, analisa o presidente.

Calor também questionou os vereadores e se colocou à disposição para buscar soluções. “No nosso bairro vamos ter que esperar acontecer uma tragédia semelhante para conseguir sensibilizar o poder público sobre a necessidade urgente de melhorias ali também? Se necessário estamos dispostos a ir juntos nos órgãos responsáveis, como o Dnit, mas precisamos de uma solução rápida para que não se repitam as histórias trágicas já ocorridas. Precisamos e pedimos o apoio dos vereadores nesse sentido”, finalizou.

A vereadora Mirele Debiasi respondeu ao presidente da associação que esse assunto já é bastante discutido na casa. Também destacou que no dia 12 de abril fez uma indicação solicitando ao Deinfra a instalação de duas faixas elevadas de pedestres na Rodovia SC-108.

O vereador Valentim Bardini também comentou o caso. “Na última quinta-feira (5), nos reunimos nas comissões. Foi pego todos os ofícios e todos os pedidos dos vereadores e foi enviado um ofício para cada deputado da região, para que em conjunto tome as medidas cabíveis. Desde a Nova Orleans até o Seminário São José há vários pedidos. Então, em conjunto estamos reivindicando as soluções”, explica Valentim.

Os vereadores também comentaram a morosidade dos órgãos competentes em resolver esses problemas. Paulo Canever destacou que uma rótula já foi pedida naquele local alguns anos atrás, quando houve a construção da terceira pista. O pedido até hoje não foi atendido.

Saúde Municipal é discutida durante a sessão

Durante o uso da tribuna o vereador Lucas Gonçalves utilizou seu tempo para fazer sugestões a Secretaria de Saúde em relação as filas de espera por consultas, exames e procedimentos médicos. “Fiz um levantamento, com base no Sistema SUS pela internet, dos procedimentos que aguardam na fila de espera da saúde do nosso município. Há muitas pessoas que reclamam que ficam muito tempo em uma fila de espera. A pessoa que está com um problema de saúde tem pressa, ela quer ser atendida. Ninguém deixa de fazer um exame ou procurar um especialista tendo dinheiro. Aquela pessoa que têm recursos procura, aquela que não tem, infelizmente precisa recorrer a saúde pública. Todos dizem que saúde é prioridade, esse é o discurso político padrão. Sendo prioridade, algo tem que ser feito efetivamente, muito se fala, mas pouco se faz”, comentou.

O vereador destacou que no município as pessoas precisam enfrentar uma fila para agendar uma consulta para daqui um mês. “Estive em uma unidade de saúde e liguei para outras três, para ver como está funcionando o atendimento médico. Apenas em uma há consultas para o mês de setembro, nas outras três somente consultas em outubro. Então as pessoas não marcam o dia para ficar doente, elas têm urgência. Por isso, o plantão é cheio. As pessoas procuram consultas no posto de saúde, mas não tem”, comentou.

Letícia de Oliveira/Sul In Foco

Lucas apresentou alguns dados em relação a lista de espera do SUS em Orleans. “Dez pessoas esperando consultas com cardiologistas desde abril. São cinco meses para uma consulta com especialista do coração, que geralmente é algo sério. Consulta em cirurgia vascular 139 pessoas esperando com filas desde julho de 2018. Em algumas especialidades a fila anda, como dermatologia, gastroenterologia, neurologia. Na fila de oftalmologia há 437 pessoas aguardando desde março deste ano. Ortopedia 172 pessoas esperam desde abril. Otorrino 25 pessoas com espera desde julho de 2018. Em relação as filas de exames: colonoscopia são 12 pessoas aguardando desde abril, ecocardiograma 15 pessoas, está anda mais rápido, desde julho, endoscopia 104 pessoas aguardando desde fevereiro de 2019”, detalha o vereador.

Lucas destacou que sua intenção não é criticar o executivo, mas contribuir com ideias para melhorar a situação. “A minha fala é no sentido de indicar ao prefeito que possa analisar um programa ou mutirão para estar atendendo essa população que sofre com a lista de espera. Em Braço do Norte, a prefeitura realizou um programa chamado a Fila Anda, onde foram atendidos em um ano 700 procedimentos, com recursos próprios do município e recursos parlamentares. Talvez a prefeitura possa ver a possibilidade de realizar algo e atender principalmente aquelas pessoas que mais precisam. A nossa função como representantes do povo é brigar por qualidade de vida e ninguém tem isso se não tem saúde”, finalizou.

A vereadora Mirele Debiasi apoiou a fala de Lucas e ainda ressaltou que esse pedido é feito desde agosto de 2017, quando ela mesma fez uma indicação para realização do programa “Fila Zero, para acabar com todas as filas de exames de alto complexidade e cirurgias eletivas”.

Mirele também ressaltou o recurso de R$ 200 mil destinados à Secretaria de Saúde. “Através do deputado Marcos Vieira havia um recurso de R$ 200 mil para a compra de um mamógrafo. Na ocasião, o município não quis esse recurso para a compra do mamógrafo, porque para o município não era viável. Então esse recurso foi destinado para a Secretaria de Saúde, para ser usado justamente em exames e pessoas que estavam nas filas. O dinheiro entrou no dia 3 de dezembro de 2018. Cerca de 23% da nossa arrecadação está indo para a saúde. É mais do que outros municípios, mas mesmo assim há essas filas e pessoas que estão desassistidas na saúde no nosso município. Fica meu pedido mais uma vez para otimizar os recursos da Secretaria de Saúde”, completou a vereadora.

Letícia de Oliveira/Sul In Foco

O vereador Rodinei Pereira ressaltou que as dificuldades na saúde decorrem principalmente da regulamentação municipal. “Temos visto muito a reclamação da saúde em Orleans por causa da Regulação implantada não só pelo estado, mas também pelo município e está gerando muito transtorno. Essa espera até dois anos de pequenos exames que sai dos postos, vai para uma regulação municipal, que leva de cinco a 15 dias para aprovação de exames que tem a média de R$ 30 reais. As pessoas carentes não têm condições de pagar”, comenta o vereador.

O presidente da casa, Hildegart Durigon, também trouxe a tribuna um assunto sobre saúde. O vereador abordou o trabalho das agentes de saúde. “Isso não demanda recursos, para mim é só questão de gestão, a readequação das agentes de saúde que cuidam da saúde da população orleanense. Hoje nós temos um total de 48 agentes de saúde para atender a população, mas não estão bem dimensionadas. Pela lei até 750 pessoas podem ser atendidas por uma agente comunitária de saúde. Se dividirmos 23 mil habitantes por 700, nós teremos a necessidade de ter no quadro 33 agentes. Se temos 48 está faltando um dimensionamento adequado na tarefas e pessoa que devem ser atendidas por cada agente. Assim como o Rio das Furnas, outras localidades de Orleans estão extremamente desfalcadas de agentes comunitárias. A unidade São Francisco está faltando pelo menos três agentes, na unidade São Roque, um agente e outros postos também estão com falta. O que pedimos é que a Secretaria de Saúde faça esse redimensionamento, porque é um problema de gestão e não de recurso”, ressalta Hildegart.

Coleta seletiva será implantada em Orleans

A vereadora Mirele trouxe uma informação do poder executivo em relação ao lixo da cidade. Segundo a vereadora, nem 4% do lixo produzido pelos orleanenses é reciclado. “Somos uma cidade de empresários, uma cidade universitária e esclarecida, que não sabe dar o destino certo ao lixo. A coleta seletiva vai funcionar em mais bairros. A primeira etapa vai incluir o Centro, o bairro Santista e o Conde D’Eu. A segunda etapa terá a coleta seletiva no Bairro Vermelho, Coloninha e também Nova Orleans”, comenta Mirele.

Ela também destacou que haverá 40 Eco Pontos espalhados pelo município, em região urbana e rural, para que as pessoas deem o destino certo para o lixo. Os Eco Pontos serão instalados a partir da próxima semana. As agentes de saúde também ajudarão a orientar os moradores através de materiais de conscientização.

Letícia de Oliveira/Sul In Foco

Confira a Ordem do Dia da Sessão desta segunda-feira (9):

PROJETO DE LEI PL Nº 04/2019 – DECLARA DE UTILIDADE PÚBLICA A ASSOCIAZIONI VENETA DI ORLEANS E REGIONE.

Indicação nº. 0071/2019 – Autor: Paulo Canever

“Que seja encaminhado ofício ao DEINFRA solicitando a construção de trevo Alemão na Rodovia SC-390, para acesso a comunidade de Oratório.”

Indicação nº. 0072/2019 – Autor: Lucas Mattos Gonçalves

“Que o Executivo providencie a reforma geral do Ginásio de Esportes do Bairro Alto Paraná.”

Indicação nº. 0073/2019 – Autor: Lucas Mattos Gonçalves
“Que o executivo faça a colocação de lombada na Rua Hugo Carlos Claumann.”

Confira a Sessão completa no vídeo abaixo:

Notícias Relacionadas

Estado libera recursos para pavimentação da última etapa de acesso à Barragem do Rio São Bento, em Siderópolis

Para o prefeito Cesa, foram muitos anos de espera por essas duas obras no município.

Morador tem bens e dinheiro furtados de casa em Orleans

Conforme a Polícia Militar, o crime ocorreu no intervalo de aproximadamente duas horas, entre a saída e o retorno dos moradores.

Vereadores são informados que CDL não usará recurso público para a campanha Compre de Orleans

Em sessão nesta segunda-feira (12), os vereadores ainda aprovaram a concessão de alvará para extração de mineral caulim e questionaram os serviços do estacionamento rotativo

Após oito anos, Conseg é reativado em Treviso

Membros da Diretoria Provisória foram apresentados em ato realizado na noite desta quarta-feira (17), no Auditório Vilson Savaris, centro da cidade, com a presença de lideranças municipais e comunitárias.