Geral

Municípios vão defender eleições para prefeitos e vereadores somente em 2022

O Congresso Nacional deve tomar decisão sobre a data das eleições em julho. Com esse posicionamento, a confederação é contra a realização da disputa em 2020, mesmo com o adiamento de outubro para dezembro.

Divulgação

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) vai defender a realização das eleições municipais somente em 2022, com unificação dos mandatos. Dessa forma, os prefeitos e vereadores seriam escolhidos junto com os demais cargos eletivos (presidente, governadores, senadores e deputados federais e estaduais).

O conselho político da entidade municipalista, da qual faz parte a Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), fez reunião virtual na manhã desta segunda-feira. A CNM está preparando uma “Carta à Nação” sobre tema. O Congresso Nacional deve tomar decisão sobre a data das eleições em julho.

Com esse posicionamento, a confederação é contra a realização da disputa em 2020, mesmo com o adiamento de outubro para dezembro. Na reunião das lideranças municipalistas, foi lembrado que a unificação dos mandatos é uma demanda antiga das entidades. Por isso, será apoiada a emenda constitucional em tramitação no Senado com previsão de coincidência dos mandatos.

O presidente da confederação, Glademir Aroldi, alegou que a realização das eleições em 2020 “não será democrática” porque não vai permitir a igualdade de oportunidades devido à pandemia de coronavírus, conforme relatado pela assessoria da entidade. Uma das situações apresentadas foi de 1.040 dos atuais prefeitos com direito de disputar a reeleição têm mais de 60 anos de idade, fazendo parte dos grupos de risco.

Há também temor de elevada abstenção do eleitorado. Uma das estratégias das lideranças municipalistas será buscar o contato com os parlamentares para defender a realização das eleições municipais somente em 2022 – neste momento, há deputados federais mais inclinados a aceitar o adiamento da eleição para dezembro de 2020.

Presidente da Fecam

Participante da reunião online da CNM, o presidente da Fecam, Saulo Sperotto, também defende a unificação dos mandatos. O dirigente e prefeito de Caçador alega que não haverá condições sanitárias e democráticas para a realização da eleição em 2020. Sperotto aponta também os custos para realização da disputa, incluindo fundo partidário, despesas da Justiça Eleitoral e custos das campanhas, como outra situação desfavorável à realização da disputa.

O presidente da Fecam diz que a posição das lideranças municipalistas não é em “defesa em causa própria” e sim o reconhecimento de que não há condições de realização das eleições neste ano. A discussão sobre as eleições ainda está em andamento na Fecam – não há consenso entre os prefeitos. As associações municipais serão consultadas. De qualquer forma, lembra o dirigente, a decisão final cabe ao Congresso Nacional.

Posse no TSE

Na cerimônia virtual de posse na presidência do TSE, o ministro Luís Roberto Barroso se manifestou sobre as eleições municipais. “As eleições somente devem ser adiadas se não for possível realizá-las sem risco para a saúde pública. Em caso de adiamento, ele deverá ser pelo prazo mínimo inevitável. Prorrogação de mandatos, mesmo que por prazo exíguo, deve ser evitada até o limite. O cancelamento das eleições municipais, para fazê-las coincidir com as eleições nacionais em 2022, não é uma hipótese sequer cogitada”, alegou o novo presidente do TSE, conforme informações da Agência Brasil.

Com informações do site NSC Total

Notícias Relacionadas

Em audiência pública, municípios do Sul decidem ir à Justiça para reverter questão dos pedágios na BR-101

As três associações de municípios que serão impactados pela implantação das praças de pedágios no trecho Sul da BR-101 se reuniram na Arena Multiuso Prefeito Estêner Soratto da Silva, em Tubarão

PEC do Governo do Estado permite repasse de recursos de emendas parlamentares direto aos municípios

A PEC é uma forma de agilizar e desburocratizar os repasses dos recursos de emendas parlamentares diretamente para as prefeituras por meio de transferência especial, independentemente de celebração de convênio.

Governo do Estado decreta estratégia regionalizada em parceria com os municípios de enfrentamento à pandemia

O governador Carlos Moisés assinou digitalmente nesta segunda-feira, 1º, um decreto que permitirá a regionalização das decisões para o enfrentamento à pandemia de Covid-19 a partir de 8 de junho.

Comemoração do bicentenário de Anita Garibaldi é debatida entre os prefeitos da região

Nas cidades de Imbituba, Laguna e Tubarão, ainda em 2019, será plantada a Rosa de Anita. Trata-se de um híbrido desenvolvido por botânicos europeus e que será plantado nos locais que fazem parte da história da heroína dos dois mundos.