Geral

Obras na BR-101 requerem atenção dos condutores

Com início dos trabalhos de manutenção, motoristas devem redobrar atenção, especialmente entre Capivari de Baixo e Passo de Torres.

Divulgação

Quem trafega pela BR-101, principalmente no trecho entre a divisa com o Rio Grande do Sul até Capivari de Baixo, já percebe uma movimentação diferente. Homens e máquinas marcam presença na pista, seja para realizar a manutenção ou para dar início à construção das praças de pedágio.

Os trabalhos são realizados desde o último mês, quando a CCR ViaCosteira, empresa vencedora do leilão de concessão, assumiu a operação dos 220 quilômetros da BR-101 Sul. Por conta disso, alguns trechos podem sofrer interdição de faixa, ficando apenas em meia pista, entre as 7h e 18h.

Neste primeiro momento, o foco dos trabalhos estão justamente entre Passo de Torres e Capivari de Baixo, com ênfase na região do Extremo Sul. Na sexta-feira, pelo menos três equipes trabalhavam em trechos entre o contorno de Araranguá e a divisa como estado gaúcho.

A CCR já realiza correções emergenciais em alguns locais da pista e a restauração de pavimento em determinados pontos, que é quando acontece a troca do asfalto já existente por um novo, a fim de restabelecer as condições de trafegabilidade e segurança de todo o trecho

Além da correção e restauração de pista, dentre os trabalhos obrigatórios em contrato estão inclusos também, a manutenção, que acontece através dos serviços de limpeza da rodovia e canteiros, e revitalização e substituição de toda a sinalização vertical e horizontal.

Segundo a empresa, os trabalhos de recuperação e manutenção de via serão realizados continuamente ao longo dos 220 km do trecho. Porém, além disso, a CCR realizará mais 50 quilômetros de restauração de pavimento ainda no primeiro ano de concessão, onde acontece uma recuperação mais profunda da via, como também a troca do asfalto.

Pedágio

A empresa responsável também já deu início às obras de construção das praças de pedágio. Segundo a CCR, a expectativa é que os trabalhos sejam concluídas até fevereiro. A cobrança, porém, só pode ser feita após a entrega dos trabalhos iniciais previstos em contrato, que precisam ser aprovados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

A partir do sexto mês de concessão, em fevereiro de 2021, conforme previsto em contrato, os usuários terão à disposição toda a estrutura operacional e de atendimento com a prestação dos serviços médico, mecânico e inspeção permanente de tráfego, além de seis bases de atendimento e 17 veículos operacionais (6 ambulâncias, 5 guinchos e 6 viaturas de inspeção).

A expectativa da empresa é iniciar a cobrança da taxa de pedágio até agosto de 2021. “Este prazo pode ser antecipado. Mas não podemos começar a cobrar sem antes realizar as melhorias previstas no contrato. Agora teremos bastante trabalho, acreditamos que vamos conseguir concluir as atividades iniciais antes de agosto de 2021”, projetou o diretor-presidente da CCR ViaCosteira, Fausto Camilotti.

O preço da tarifa inicia, com data base de agosto de 2019, é de R$ 1,97. O valor ainda passará por reajuste de inflação, ficando um pouco acima de R$ 2. “Esse é um valor que também precisa ser comemorado. O usuário vai gastar menos que o preço de um litro de gasolina para transitar em cada trecho entre as praças de pedágio, tento segurança, com bom pavimento, o que diminui a depreciação do veículo além de contar com todo o suporte de serviços de atendimento médico e mecânico”, apontou o diretor-presidente.

Com informações do site TNSul

Notícias Relacionadas

PRF apreende mais de seis quilos de cocaína após motorista fugir da fiscalização na BR-101, em Jaguaruna

A droga estava em um GM/Onix com placas de Criciúma, que não obedeceu a ordem de parada e fugiu em alta velocidade.

Senador garante R$ 40 milhões e obras da Serra da Rocinha não sofrem ameaça

Tribunal de Justiça autoriza prefeitura a retomar obras da passarela em frente à Unisul, em Tubarão

Iniciada em fevereiro, a construção da passarela precisou ser interrompida por alguns dias ainda no primeiro semestre por conta da ação judicial de uma empresa inabilitada no processo de licitação.

Morador de Lauro Müller é baleado durante assalto a ônibus de comerciantes na BR-101; Veja vídeos