Segurança

Operação Fictum Libellum apura crime de corrupção em escola de Lauro Müller

Busca e apreensão é realizada pela equipe da Polícia Civil em escola do Guatá. A suspeita é de venda de certificados e trabalhos escolares por uma funcionária.

 

Divulgação/Polícia Civil

Pela Operação Fictum Libellum, a Polícia Civil cumpre um mandado de busca e apreensão na cidade de Lauro Müller na manhã desta segunda-feira (17). O local da busca é a Escola Engenheiro Ernani Cotrin, na comunidade do Guatá. A suspeita é que uma funcionária pública estadual estaria produzindo e vendendo históricos e certificados escolares de Escola Estadual, falsificados, e produzindo trabalhos escolares.

A investigação foi instaurada Delegacia de Polícia de Lauro Müller pela delegada Juliana Freitas Zapelini. A delegada apurou que que M. T. V., uma funcionária pública estadual do Secretário da Educação, estaria produzindo e vendendo por R$ 800 históricos e certificados escolares da escola estadual falsificados. A mulher ainda produzia trabalhos escolares para alunos por R$ 50, com apoio de L. V. L., ex-aluno da escola.

Durante a investigação foram ouvidas testemunhas que indicaram a possível prática dos crimes de falsificação dos documentos, citando uma das testemunhas que Y. C. B. nunca estudou na Escola Engenheiro Ernani Cotrin e que teria sido produzido um histórico escolar em seu nome como se fosse aluno da escola. O ex-aluno da escola, chamado L. V. L. estava oferecendo certificados escolares para venda.

Em diligências investigativas, descobriu-se que M. residia no Bairro Cairu, Lauro Müller, enquanto que L., colaborador de M., no Distrito de Guatá. Diante das investigações, foram requeridas buscas e apreensões nos endereços dos investigados, para a colheita de mais elementos de prova, bem como a decretação de busca e apreensão na Escola Básica Engenheiro Ernani Cotrin. A funcionária teria acessado os sistemas do Estado na escola para inserir dados falsos.

A operação visa apurar crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e inserção de dados falsos em sistema informatizado da administração pública. O nome da operação Fictum Libellum vem do latim e significa documento falso.

Divulgação/Polícia Civil

Notícias Relacionadas

Eleições 2020: Com possibilidade de chapa pura, PDT quer oferecer opção ao eleitor de Lauro Müller

O presidente do partido, Manoel Jades Izidoro, falou com exclusividade sobre os preparativos para as eleições municipais.

Voos de drones, para captar informações geográficas de Lauro Müller, começam na próxima semana

Trabalho de coleta de informações é parte do Projeto de Gestão Territorial desenvolvido pela Unesc para o município.

Projeto Educanvisa promove saúde em escolas da rede municipal de Lauro Müller

Van capota e deixa criança gravemente ferida em Lauro Müller

Segundo informações extra-oficiais, a vítima que estava com os pais, foi arremessada para fora do veículo.