Segurança

Operação Navarco busca novas provas contra Pirâmide Financeira no Estado

Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal (PF) cumpriu na tarde desta terça-feira, 14, um mandado de busca e apreensão na operação Navarco, no município de Itapema, com o objetivo de arrecadar elementos de prova relacionados a crimes financeiros.

Entre os anos de 2019 e 2021, um grupo criminoso teria captado cerca de R$ 4,8 milhões por meio de um esquema de pirâmide (também denominado ponzi), mediante promessa de rendimentos que variavam de 2,5 a 5% ao mês. Já foram identificadas 45 vítimas, que tiveram seus recursos investidos subtraídos.

A 1ª Vara Federal de Itajaí decretou diversas medidas contra o principal suspeito, incluindo restrições à sua locomoção e bloqueios patrimoniais de seu núcleo familiar e de suas empresas.

Na ação desta terça-feira, 14, a PF apreendeu uma lancha de propriedade do principal envolvido no esquema além de mídias e documentos, que serão analisadas para a conclusão das investigações.

Quer receber as principais notícias da região? Clique aqui e entre no nosso grupo de WhatsApp e fique atualizado de forma rápida e confiável 

Ao todo, três pessoas foram indiciadas em crimes contra o sistema financeiro nacional, associação criminosa, estelionato e lavagem de dinheiro.

O nome da operação Navarco remete a “comandante” e guarda relação com o principal envolvido, que aparece nas redes sociais ostentando uma vida de luxo em viagens, carros, barcos e helicóptero.

Notícias Relacionadas

Ação conjunta reprime comercialização de moeda estrangeira em Santa Catarina

Trio é preso por tráfico transnacional de drogas em Santa Catarina

Maior apreensão de cocaína do ano é registrada em porto catarinense

Agiotas que cobravam dívidas até no local de trabalho das vítimas são presos em SC

Empresário está entre os presos