Política

Orleans: “Nos sentimos esquecidos e abandonados”, relatam moradores do Jardim Anita

Falta de iluminação pública, condições precárias de ruas, falta de sinalização e proteção em ponte e esgotamento sanitário estão entre as reclamações.

Orleans: “Nos sentimos esquecidos e abandonados”, relatam moradores do Jardim Anita

Fotos: Veroni Henrique / Rádio Guarujá

Os moradores do loteamento Jardim Anita, situado no bairro Rio Belo, em Orleans, relataram esquecimento e abandono por parte da Administração Municipal. Em entrevista ao repórter Veroni Henrique, da Rádio Guarujá, eles relataram as inúmeras reclamações que já foram feitas, mas ainda não foram atendidas.

Pablo Ernesto mora no local há oito anos. “Nosso loteamento está esquecido pela Administração Pública e estamos com vários problemas, tais como estradas, que estão precárias. Agradecemos pela ponte nova, que foi feita, era uma reivindicação antiga, mas ela ainda está sem sinalização. A questão do esgoto também foi feita pela metade. Há vários postes sem iluminação pública, o que causa insegurança. O acesso principal também é horrível. Passam a patrola, mas a chuva vem e leva todo o areão. Inclusive, na última vez que passaram com a máquina, arrancaram o meio-fio”, enumerou.

A solicitação, segundo ele, já foi feita por diversas vezes à Administração Municipal, mas a resposta foi considerada um descaso. “Na última oportunidade, os moradores não ficaram nada felizes com a resposta que recebemos do vice-prefeito [Mário Coan], dizendo que é um loteamento de infraestrutura cara e que não mora muita gente. Eu acho que ele tem que repensar no que ele falou e olhar para nós, que trabalhamos dia após dia, pagando nossos impostos para a Prefeitura no dia correto”, concluiu.

O morador do loteamento, Allan Lessa, também citou a realidade vivida por eles. “O nosso sentimento é que a Prefeitura deixa a gente abandonado aqui no nosso loteamento. Vivemos em um bairro que é perímetro urbano, dentro da cidade, não temos pavimentação aqui, nossas ruas são horríveis, convivemos diariamente com a poeira e são apenas três ruas. Se fosse ainda um loteamento muito grande, com muitas ruas, e fosse calçado um pouco de cada, a gente até entenderia”, afirmou.

Para resolver uma das situações, os munícipes se uniram para fazer por conta própria. “Quem teve que fazer a frente para colocar as tubulações para passar a água e não fazer valo na frente das ruas quando chove, foram os próprios moradores. Eles tiveram que orçar materiais e comprar. Eles mesmos, com as próprias mãos, cavaram, colocaram as tubulações, até que teve alguém da Prefeitura ali e embargou. Falou que tinha que parar, que eles não poderiam fazer aquilo e que precisavam de autorização. Além de eles terem tomado a iniciativa, a Prefeitura interviu”, lamentou.

Orleans: “Nos sentimos esquecidos e abandonados”, relatam moradores do Jardim Anita

Fotos: Veroni Henrique / Rádio Guarujá

“Parece que os moradores têm que ficar implorando para a Prefeitura, parece que eles estão fazendo favor para a gente até para trocar a lâmpada de um poste. A iluminação é precária do loteamento. Para eles vir e fazer o serviço, vários moradores têm que ficar mandando mensagem para funcionários da prefeitura. Nisso, passa um, dois meses. Isso deixa um descontentamento muito grande, pois, em várias eleições, vieram vários políticos aqui, inclusive o prefeito [Jorge Koch], dizendo que iam pavimentar a rua. Prometeram até o asfalto. E isso nos deixa muito triste. Na ponte na entrada do loteamento, não tem sinalização e nem um guard rail, então é bem perigoso. Várias casas aqui não tem nem esgoto ainda. A gente cobra porque é direito nosso, pagamos os nossos impostos, o IPTU em dia. Estamos com as portas abertas para qualquer político vir, qualquer vereador”, acrescentou.

O cidadão Ramon Pilon reforçou as reclamações. “Estamos com problemas de lâmpadas queimadas. Fica muito perigoso andar à noite. Tem uma rua que não tem nenhuma iluminação pública. A gente faz a solicitação para troca das lâmpadas, mas não aparecem para trocar. Já tivemos vários moradores que ligaram, mandaram mensagem, mas não apareceu ninguém. Para sair à noite, fica bem complicado. Aqui no bairro há várias crianças, então seria muito importante uma área para recreação delas, como um parquinho ou uma quadra. Tem uma área verde que poderia ser usada. Tem muitas valetas nas ruas. Estamos à espera do calçamento, que foi feito em apenas uma das ruas. Não temos nenhuma previsão de quando serão feitas as outras. O acesso ao loteamento também é complicado, cheio de buracos. Em época de chuva, fica bem complicado transitar por aqui. Estas são as reivindicações que temos mais urgência”, citou.

A reportagem do portal Sul in Foco entrou em contato com a Administração Municipal, através da assessoria de imprensa, e também com o responsável pela iluminação pública, mas não houve manifestação até a publicação desta reportagem.

  • 6
  • 5
  • 4
  • 2

Notícias Relacionadas

Iniciam trabalhos de recuperação da rua que dá acesso a Pindotiba, em Orleans

Governo do Estado repassa mais de R$ 18 milhões em convênios na área de Infraestrutura em 15 dias

O governador Carlos Moisés reforça que os investimentos em infraestrutura são uma das prioridades do Governo do Estado.

Coorsel encerra 2019 com mais de R$ 2,3 milhões investidos em infraestrutura

Além disso, a Cooperativa ainda renovou a frota em um investimento de aproximadamente R$ 700 mil

I Feira do Livro é oficialmente aberta em Orleans