Segurança

Porta de salão de beleza é destruída por ex-namorado de proprietária em Braço do Norte

Segundo a vítima, o acusado não aceita o fim do relacionamento.

Viatura PM

Foto: Arquivo / Sul in Foco

A proprietária de um salão de beleza acusa o ex-namorado de destruir a porta do estabelecimento em Braço do Norte . O fato teria acontecido no início da tarde desta quinta-feira (30), no centro da cidade. Segundo a mulher de 42 anos, o acusado não aceita o fim do relacionamento e afirma ter sido alvo de ameaças.

A Polícia Militar foi acionada e constatou o dano na porta de vidro do estabelecimento.  Conforme depoimento da vitima, momentos antes do ataque, o ex-companheiro teria lhe encaminhado uma mensagem de voz, via aplicativo Whatsapp, ameaçando que iria quebrar o salão e também colocar fogo na casa.

O acusado não foi encontrado e um boletim de ocorrência foi confeccionado. O caso será apurado pela Delegacia de Policia Civil e se, comprovado, poderá responsabilizar o autor por dano e na ameaça ou agressão, conforme consta na Lei Maria da Penha.

Notícias Relacionadas

Amurel recomenda que municípios adotem nova quarentena por causa da Covid-19

Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel) contempla 18 prefeituras. A situação da região é considerada gravíssima pelo governo de Santa Catarina em relação à doença.

Clínicas e laboratórios particulares de Braço do Norte terão que informar a Prefeitura sobre exames para Covid-19 realizados

O Decreto 026/2020, assinado pelo prefeito, Beto Kuerten Marcelino, na noite deste domingo (12), visa garantir a transparência sobre os dados da doença no Município.

Idoso capota carro sobre a Ponte Anita Garibaldi, em Laguna

Motorista de aproximadamente 80 anos estava sozinho quando perdeu o controle do veículo com placas de Braço do Norte.

Interessados em oferecer serviços de transportes com plataformas digitais têm 30 dias para se regularizar em Braço do Norte

Após 30 dias, aqueles que estiverem exercendo o transporte remunerado de passageiros e não estiverem regularizados estarão sujeitos às medidas estabelecidas na Lei Complementar 487/2019.