Mundo Animal

Preserve o quati!

Foto: Divulgação

Quem já visitou o mirante da Serra do Rio do Rastro certamente já teve o prazer de encontrar os quatis (nasua nasua), famosos por serem brincalhões e “ladrões” de comidas.

Foto: Divulgação

O quati é um pequeno mamífero silvestre, que pesa em torno de 3,5 a 6 kg. Possui focinho alongado e uma cauda caracterizada por anéis pretos e brancos.

Alimenta-se de frutas, pequenas aves, insetos, minhocas e larvas. Só alcançam a maturidade sexual em torno dos 2 anos de idade, e criam de 2 a 7 filhotes após uma gestação que dura em torno de 11 semanas. Gostam de viver em bandos de até 20 indivíduos.

Mas nesta coluna, quero chamar a atenção para a preservação destes animais. Eu sei que são irresistíveis e muitos deles já estão acostumados com a presença humana, mas este tipo de aproximação acaba fazendo mal para estes bichinhos de várias formas:

• A aproximação das pessoas faz com que eles percam o medo dos humanos e acabam sendo facilmente levados por gente mal-intencionada;

• A alimentação incorreta (salgadinhos, pipocas, balas…) prejudica o desenvolvimento destes animais facilitando o aparecimento de doenças nos bandos;

• Animais silvestres são hospedeiros de diversas doenças, por isso não devemos tocá-los. E o contrário também acontece, pois as pessoas acabam transmitindo doenças que antes não existiam nos bandos, podendo exterminá-los;

• Quando fornecemos alimentos aos quatis, eles acabam se tornando dependentes e perdem a capacidade sobreviver procurando a própria comida na natureza.

Todos estes fatores contribuem para a diminuição da população que muitas vezes recorre aos grandes centros em busca de alimento e acabam sendo mortos nas rodovias e até mesmo viram presas fáceis de cães.

Além de todos os malefícios que podemos causar nesta espécie, outro bom motivo para não nos aproximar é que os quatis também mordem, então evite acidentes principalmente com as crianças!

É um prazer termos esta espécie para embelezar nossa região por isso NÃO TOQUE, NÃO ALIMENTE E NÃO CACE! A natureza agradece!

Notícias Relacionadas

Inspirações para o ano novo

Bauer, Amin e Kleinübing

A baixa qualidade da educação brasileira

A professora e colunista Ana Maria Dalsasso questiona os pais sobre a qualidade da educação nas escolas públicas do país. E você, está satisfeito?

O poder da mídia

A professora e colunista Ana Maria Dalsasso avalia a relação da mídia atual com a divulgação de informações sobre o novo tipo de gripe, o H3N2, à população.