Geral

São Ludgero é o maior produtor de bovinos para abate da microrregião de Tubarão e 5º no Estado

São Ludgero no ranking estadual está abaixo de Lages, Água Doce, Coronel Freitas e Campos Novos.

Foto: Bertoldo Weber

São Ludgero é o maior produtor de bovinos para o abate da Microrregião de Tubarão e está em 5º lugar no Estado de Santa Catarina. O crescimento significativo aconteceu nos últimos anos. Em 2017 foram 8.929 animais abatidos.

O portal Infoagro informa que nos anos de 2014, 2015 e 2016 o município nem listava entre os primeiros no ranking estadual. Já em relação a Microrregião de Tubarão, em 2014 aparecia em 4º lugar com 4.649 animais, 2015 pulou para o 2º lugar com 5.627, 2016 se manteve no segundo lugar com 6.726 e no ano de 2017, oficialmente, apareceu no topo da lista com 8.929 animais abatidos. Os números de 2018 ainda não foram anunciados.

O Estado de Santa Catarina abateu em 2017 um total de 550.576 bovinos. São Ludgero no ranking estadual está abaixo de Lages, Água Doce, Coronel Freitas e Campos Novos.

É importante ressaltar que a produção animal constitui o principal ramo da agropecuária catarinense, responsável por cerca de 60% do Valor Bruto da Produção (VBP) e 53% das exportações do agronegócio do Estado, de acordo com dados de 2017. Dentre os dez principais produtos que compõem o VBP de Santa Catarina, cinco são de origem animal: frangos, suínos, leite, bovinos e ovos de galinha.

A produção animal também tem grande relevância social, com dezenas de milhares de produtores participantes das cadeias produtivas que compõem o setor, além de um grande contingente de trabalhadores que atuam nas agroindústrias de insumos e de processamento dos produtos.

O extensionista rural e engenheiro agrônomo responsável pelo escritório local da Epagri, Igor Franz Dittert, enfatiza da importância do suporte técnico para os produtores, visando serem ainda mais eficientes, reduzindo custos e aumentando a margem de lucro. “Os números contabilizados através do portal Infoagro são de animais abatidos em estabelecimentos credenciados pelos serviços de inspeção previstos na legislação (SIM, SIE e SIF)”, informa.

O prefeito de São Ludgero, Ibaneis Lembeck, o Iba, ao receber a informação diz que é preciso continuar firme disponibilizando orientações técnicas para os produtores. “É mais uma vocação que São Ludgero passa a ter e isso trás somente benefícios para o desenvolvimento saudável”, pontua.

Capacitações aos produtores

Igor Franz Dittert, informa que no município é desenvolvido cursos, treinamentos e promovido visitações com áreas específicas de produção. No caso da bovinocultura de corte os interessados podem fazer inscrição, gratuitamente, para mais uma capacitação que será realizada no mês de março no Cetuba, em Tubarão.

Além disso, acontecerão encontros durante o ano em São Ludgero com o objetivo de abordar estratégias para a bovinocultura e eficiência na produção. Mais informações pelo fone 3651 1883 ou direto no escritório da Epagri localizado no mesmo andar da Secretaria de Agricultura, Comércio, Indústria e Turismo de São Ludgero.

Ranking de bovinos produzidos para o abate em Santa Catarina ano 2017:

1º lugar – Lages – 12.461 bovinos

2º lugar – Água Doce – 11.666 bovinos

3º lugar – Coronel Freitas – 9.914 bovinos

4º lugar – Campos Novos – 9.519 bovinos

5º lugar – São Ludgero – 8.929 bovinos

Colaboração: Bertoldo Kirchner Weber – Assessor de Comunicação da Prefeitura de São Ludgero

Notícias Relacionadas

Estado garantirá tratamento anual de R$ 2,7 milhões a criança de Laguna com AME, decide TJ

De acordo com os autos, a perícia médica comprovou que a criança, natural de Laguna, precisa do remédio e que inexiste, na rede pública de saúde, tratamento para a doença.

Estado libera recursos para pavimentação da última etapa de acesso à Barragem do Rio São Bento, em Siderópolis

Para o prefeito Cesa, foram muitos anos de espera por essas duas obras no município.

Seminário discute desenvolvimento da cadeia leiteira no Sul de Santa Catarina

Estado indenizará cidadão equivocadamente anunciado como preso em nota de rede social em Sombrio

O Estado de Santa Catarina foi condenado a indenizar o homem, por danos morais, em R$ 5 mil