Que futuro nos espera?

Professora e colunista Ana Maria Dalsasso questiona o leitor como educar os jovens em meio a tantos maus exemplos na sociedade brasileira.

Foto: Divulgação

Os acontecimentos políticos dos últimos tempos em nosso país têm nos trazido muita decepção. Mas, paralelo a isso, trazem também um grande aprendizado em relação ao funcionamento das engrenagens que movem as forças da nação em todas as esferas, o que por lógica deverá trazer mudança de mentalidade na população brasileira. Quem tem respeito à pátria, a si e aos seus filhos, deverá entender que, se não mudarmos nossa atitude e participação na vida da sociedade, somos tão corruptos quanto os que nos representam.

A postura do ex-presidente ao depor para provar sua inocência foi uma verdadeira aula de como agem os mentirosos, os inescrupulosos, os arrogantes, os imorais… Faltou com respeito ao Juiz, tratando-o como um “moleque”; deu as costas à nação que lhe abriu os braços e deu a oportunidade para que se transformasse num herói nacional; desrespeitou sua companheira de tantos anos, a mãe de seus filhos que não pode mais se defender; transformou um compromisso de cidadão comum em uma batalha incitando seus seguidores (um bando de desocupados e tão safados quanto ele) à violência; transformou aquele momento num verdadeiro espetáculo circense para tentar livrar-se das culpas que o condenarão com certeza, pois se isso não acontecer nossas esperanças desaparecerão.

O que dizer à nossa juventude diante do cenário que se instalou na nação em relação à falta de respeito à política nacional?

A atitude do Ministro Gilmar Mendes, dependendo do ponto de vista, talvez tenha sido pior que a de Lula, pois um ministro do STF é a representação da lei, do respeito, da nossa segurança, detentor de um nível cultural elevado, enquanto Lula é um semianalfabeto, além de detentor de todos os atributos acima mencionados. Os ministros que, juntos com Gilmar Mendes, deram a liberdade a bandidos, não merecem estar onde estão. E se assim o fizeram, certamente, têm o “rabo preso”, e quem sabe logo, alguma operação como a “Lava Jato” chegará neles. Seria bom demais!

Foto: Divulgação

Mas, as surpresas se multiplicam a cada dia… Eduardo Cunha acaba de recorrer ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) pedindo anulação do processo em que foi condenado por Moro. Se isso acontecer, onde ficará a lei e o trabalho dos magistrados? É que a liberdade de José Dirceu abriu precedente. E se as coisas continuarem, só nos resta esperar que as portas das prisões se abram, inexistirão julgamentos e a lei será sepultada.

Diante de tudo que estamos vivenciando, como pais, educadores, cidadãos começamos a nos questionar sobre como educar nossas crianças, adolescentes e jovens, se convivem diariamente com tantos maus exemplos, tanta impunidade, ausência total de valores? Será que nossas lições terão poder de convencimento? Será que conseguiremos formar um cidadão politicamente competente, organizado, capaz de saber suas limitações e enfrentá-las com dignidade para conquistar seu próprio espaço, sem ter de sobreviver na dependência dos detentores do poder? O que dizer à nossa juventude diante do cenário que se instalou na nação em relação à falta de respeito à política nacional?

Essas e outras respostas só o tempo nos dará.

Notícias Relacionadas

Ano letivo inicia com procura intensa pelo Ensino Médio e Técnico em conjunto, na SATC de Orleans

Pais de toda a região buscam na instituição, o diferencial na formação educacional de seus filhos.

Fucap oferece curso de graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária

Graduação é novidade para este ano junto aos mais de 40 cursos de pós-graduação presencial e EAD, oferecidos pela instituição em Capivari de Baixo.

O Pensar Político: PSD, PP e PSB

Em pesquisa, 73,8% dos votantes se posicionam contra pedágio na Serra do Rio do Rastro