Segurança

Criança de dois anos com parafuso cravado na cabeça é atendida no Hospital de Lauro Müller

A Polícia Militar e o Conselho Tutelar foram chamados para averiguar lesão corporal em uma criança de dois anos neste domingo (2)

Divulgação

Uma criança de dois anos foi levada pela mãe para o Hospital Henrique Lage, em Lauro Müller, após a mãe verificar que a criança estava com um parafuso cravado na parte superior da cabeça. No Hospital a Polícia Militar e o Conselho Tutelar conversaram com a mãe.

Segundo a mãe, seu filho passou o sábado (1) e parte do domingo na casa dos avós paternos. A criança voltou por volta das 16h para casa da mãe e pouco depois ela verificou o ferimento. A mãe suspeitava que a criança poderia ter sido vítima de agressão pelos avós paternos.

Com o relato da mãe, os policiais foram até a casa da vítima e, em seu quarto, encontraram um guarda-roupa em estado precário, onde havia um parafuso sem ponta e quebrado pela metade. Pelas características do parafuso, os policiais suspeitaram que no local poderia ter ocorrido o acidente com a criança. O parafuso foi retirado do guarda-roupa e ficou aos cuidados dos policiais para que possa ser comparado com a parte que será retirada da cabeça da criança.

A criança foi encaminhada para o Hospital Santa Catarina, em Criciúma.

Notícias Relacionadas

Estado garantirá tratamento anual de R$ 2,7 milhões a criança de Laguna com AME, decide TJ

De acordo com os autos, a perícia médica comprovou que a criança, natural de Laguna, precisa do remédio e que inexiste, na rede pública de saúde, tratamento para a doença.

Em Laguna, governador autoriza emissário terrestre para a praia do Mar Grosso e libera recursos para hospital

A projeção da Casan é que o empreendimento fique pronto em janeiro de 2020. O emissário é uma rede de 2.718 metros de extensão e diâmetro de 315 milímetros, com tubos de polietileno.

Voos de drones, para captar informações geográficas de Lauro Müller, começam na próxima semana

Trabalho de coleta de informações é parte do Projeto de Gestão Territorial desenvolvido pela Unesc para o município.

Por chineladas em criança de quatro anos, Tribunal de Justiça mantém condenação de padrasto em Criciúma

A criança possuía várias marcas pelo corpo, em regiões das pernas, costas e nádegas.