Geral

Municípios da Amrec investem na testagem para Covid-19

Foram licitados 500 mil testes rápidos de detecção do coronavírus para serem distribuídos entre os municípios da região.

Divulgação

Os municípios que compõem a Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec) estão apostando na intensificação da testagem da população para identificar quem já foi contaminado pelo coronavírus, facilitando o isolamento e a tomada de medidas para evitar o contágio. Na tarde desta quinta-feira (20), o prefeito de Cocal do Sul, Ademir Magagnin, revelou que a Amrec licitou 500 mil testes rápidos de detecção da Covid-19 para serem distribuídos entre os municípios associados à entidade e alguns da Associação de Municípios do Extremo-Sul Catarinense (Amesc).

“Isso vai nos dar um trabalho muito mais rápido de identificação e, por sua vez, tentar isolar mais as pessoas que estão acometidas pelo vírus”, afirmou Magagnin, em audiência pública virtual, promovida pela Comissão Especial de Acompanhamento dos Gastos Públicos no Combate à Covid-19 da Assembleia Legislativa, para debater as ações do governo do Estado na macrorregião Sul.

De acordo com o prefeito, que falou em nome da Amrec, os municípios estão incomodados com a situação da região, considerada gravíssima no mapa de risco do governo do Estado. “Há todo um esforço para nós sairmos desta posição para que a gente volte a ter uma situação um pouco mais confortável e dar uma resposta a toda a população.”

O mapa de risco, aliás, foi alvo de críticas do prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro. Na visão do prefeito, a região aparece com números altos justamente porque está testando mais pessoas. “Quanto mais se procura, mais se encontra”, justificou Salvaro. “Criciúma, com 215 mil habitantes, e os municípios da Amrec estão fazendo o dever de casa.”

Segundo Salvaro, Criciúma tem dado atenção especial às pessoas que, estando contaminadas, não têm como se isolar. A solução tem sido colocá-las num centro de isolamento instalado numa antiga casa de repouso no distrito do Rio Maina. “Mais nove pessoas foram para o centro de isolamento”, revelou.

Panorama estadual

A audiência do início da tarde desta quinta-feira foi a quinta de seis encontros virtuais macrorregionais promovidos pela comissão para detalhar os gastos no combate à pandemia em todo o Estado. Como nas outras, o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, apresentou um panorama estadual das ações governamentais contra a Covid-19 e depois focou na macrorregião.

O Sul do Estado tem, hoje, 71% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ocupados. São 148 leitos destinados a adultos, seis pediátricos e 24 neonatais.

O secretário elogiou a iniciativa de intensificar os testes e disse estimular a rede privada de saúde a imitar o procedimento para que a entrada dos pacientes na rede seja mais qualificada, identificando quem foi contaminado.

Melhora dos números

O prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, lembrou que os números da Associação de Municípios da Região de Laguna (Amurel) melhoraram nas últimas semanas, mas disse que ainda há muito que fazer. Ele creditou a melhora à abertura de leitos de UTI em Laguna. “Novos leitos em Laguna, aguardados há tanto tempo, foram ativados. Com isso, a região saiu de gravíssimo para o grave, e a abertura destes leitos contribuiu para isso.”

A cidade de 105 mil habitantes já testou cerca de 20 mil pessoas e já dispõe de outros 18 mil testes. “A intenção é chegar a 40% da população testada”, disse Ponticelli, que aproveitou para elogiar as unidades hospitalares da região. “O Hospital Nossa Senhora da Conceição está fazendo seu papel. Esperamos que os outros hospitais da região da Amurel também possam contribuir.”

Preços de insumos

O prefeito de Araranguá, Mariano Mazzuco Neto,externou sua preocupação com aumentos injustificados de preços de insumos e medicamentos usados no tratamento da Covid-19. “Teve material com mais de 100% de aumento”, lamentou.

O promotor de Justiça Luiz Fernando Góes Ulysséa, que atua na região, disse que o Ministério Público (MP) está à disposição para coibir o sobrepreço de insumos. “Mas é preciso que a informação chegue concretamente ao MP.”

De acordo com o promotor, o MP já instaurou 3.818 procedimentos administrativos relativos à Covid-19 em Santa Catarina, sendo 205 na região Sul. “Foram 46 na Amesc, 55 na Amurel e 104 na Amrec”, revelou Ulysséa.

Pacientes de fora

Outra reclamação que surgiu durante a audiência pública foi de que alguns hospitais da região chegaram a ter 40% de seus leitos ocupados por pacientes de outras regiões. A fala foi prontamente rebatida pelo secretário André Ribeiro. “Santa Catarina tem 295 municípios e 56 hospitais que estão tratando da Covid. “Municípios que têm hospitais estão com moradores em outros locais também. Não faz sentido falar em municípios isolados”, afirmou Ribeiro.

Universidades parceiras

Representantes de duas universidades da região – a Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina (Unesc) e a Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) – participaram da audiência para colocar as instituições à disposição do poder público no esforço de combate ao coronavírus. A reitora da Unesc, Luciane Ceretta, e o vice-reitor da Unisul, Lester Camargo, listaram ações realizadas para ajudar os municípios, entre elas o auxílio à tomada de decisão, o atendimento de milhares de pessoas – desafogando o serviço público – e a fabricação de álcool gel, respiradores e protetores faciais.

Parlamentares

Entre os parlamentares, além do presidente da Comissão, deputado Marcos Vieira (PSDB), participaram da audiência Ada de Luca (MDB), José Milton Scheffer (PP), Luciane Carminatti (PT) e Luiz Fernando Vampiro (MDB).

Scheffer afirmou que “a união de esforços, conjuntamente com a ação e a troca de responsabilidade entre todos, tem que ser um exercício permanente”. O deputado disse ser “testemunha do esforço da Secretaria de Estado da Saúde” no combate à Covid-19. O parlamentar defendeu a oferta de cursos de capacitação para enfermeiros, técnicos e médicos para trabalharem como intensivistas, sugeriu que as equipes de saúde dos bairros sejam capacitadas para identificar os pacientes no início da doença – evitando mais contaminação – e ainda elogiou os hospitais filantrópicos. “O esforço dos filantrópicos e da Secretaria da Saúde fez dobrar o número de UTIs no Estado.”

Ada de Luca disse que as conclusões das audiências realizadas pela comissão “são muito preocupantes”. Para a deputada, é preciso planejamento “porque vai piorar”. Ela ainda lamentou o que identificou como “banalização da morte”. “E ainda tem as sequelas do coronavírus, que vai trazer muitas doenças ainda.”

André Ribeiro também lamentou a banalização citada pela parlamentar. “Precisamos de empatia.”

Luiz Fernando Vampiro cobrou do secretário uma relação com todos os gastos do governo para combater a Covid-19 na região Sul. Ribeiro disse que os números estão todos disponíveis na página de transparência do governo do Estado, mas comprometeu-se a enviar os valores detalhados para o deputado. “Mas posso dizer que somente entre habilitação de leito, Política Hospitalar Catarinense e portarias, foram mais de R$ 30 milhões”, informou.

Campanhas educativas

Luciane Carminatti parabenizou os municípios pela preocupação em investir na testagem. “É a região que mais está investindo em testagem. E com maior testagem, maior isolamento, mais resultado”, avaliou a deputada.

Carminatti também revelou que conversou com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Julio Garcia (PSD), e obteve apoio para campanhas educativas mais agressivas para alertar a população sobre os perigos da Covid-19 e os meios de prevenção. “O presidente determinou que a estrutura da Assembleia fosse colocada à disposição das campanhas”, disse a deputada. “Todos precisam fazer sua parte. Precisamos nos unir porque ninguém estará fora.”

Com informações do site TNSul

Notícias Relacionadas

Amurel recomenda que municípios adotem nova quarentena por causa da Covid-19

Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel) contempla 18 prefeituras. A situação da região é considerada gravíssima pelo governo de Santa Catarina em relação à doença.

Em três meses, PGE atuou em cerca de 270 ações judiciais e emitiu 36 pareceres jurídicos sobre Covid-19

A Procuradoria-Geral do Estado (PGE) atuou de forma judicial e administrativa para dar suporte às decisões do Poder Executivo e garantir o cumprimento das determinações para conter o avanço do novo coronavírus no Estado.

Clínicas e laboratórios particulares de Braço do Norte terão que informar a Prefeitura sobre exames para Covid-19 realizados

O Decreto 026/2020, assinado pelo prefeito, Beto Kuerten Marcelino, na noite deste domingo (12), visa garantir a transparência sobre os dados da doença no Município.

Coronavírus em SC: Fapesc aprova cinco projetos de pesquisa e destina R$ 500 mil a estudos sobre Covid-19 no estado

O edital buscava estudos que apontassem soluções para o combate à epidemia e seus efeitos na sociedade e na economia.