Segurança

Pais viram réus por agressão a filha em Capivari de Baixo; bebê segue internada

Menina, atualmente com 5 meses, está hospitalizada desde julho. Ela teve oito fraturas e múltiplas lesões, inclusive, um afundamento do crânio.

Menina está internada na pediatria em Tubarão — Foto: Pedro Garcia/ NSC TV

Tiago Rodrigues da Silva, de 25 anos, e Jhenifer Sebastião Manoel, de 21, foram formalmente acusados na Justiça pela agressão contra a filha deles, que na época tinha 2 meses de idade. O caso ocorreu em julho em Capivari de Baixo, e o pai foi preso. A bebê segue internada na pediatria no Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão, cidade vizinha.

A reportagem não conseguiu contato com a defesa da mãe. A advogada Milene de Souza, da defesa do pai, afirmou que “vamos aguardar a audiência. Ouvidas as testemunhas, há a possibilidade de esclarecer alguns pontos”. Também disse que “desde o início, a todo o momento, o Tiago vem se declarando inocente. Pelo o que nós levantamos da conduta dele, sempre foi um bom pai. Estamos aguardando essa audiência para chegar a verdade dos fatos”. Ele continuava preso até a tarde desta quinta-feira (1º).

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) denunciou Tiago por tortura e homicídio tentado. Jhenifer foi denunciada por omissão de tortura e omissão de homicídio tentado. Em 17 de julho, a Polícia Civil foi acionada pelo Conselho Tutelar de Capivari de Baixo, depois que a bebê foi internada na manhã do mesmo dia com lesões diversas no Hospital Nossa Senhora da Conceição. Ela precisou passar por cirurgia.

A Polícia Civil concluiu o inquérito e enviou ao MPSC. A Vara de Capivari de Baixo aceitou a denúncia do Ministério Público em agosto. Uma audiência do caso foi marcada para a próxima quarta-feira (7).

O Hospital Nossa Senhora da Conceição informou que a bebê está com quadro estável. Ela precisou ser transferida por um tempo para o Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis, e retornou à unidade de saúde de Tubarão em 12 de outubro. Ela teve oito fraturas, segundo o Conselho Tutelar, e múltiplas lesões, inclusive, um afundamento do crânio.

O delegado responsável pelo caso, Vandilson Moreira da Silva, disse anteriormente que a suspeita é que as agressões tenham sido motivadas porque o pai acha que a bebê não é filha biológica dele. Sobre a lesão na cabeça, disse que ainda não dá para precisar como o ferimento foi causado, mas que acredita que tenha sido um soco.

Prisão e transferência

O pai da menina está preso na Penitenciária Sul, em Criciúma. Ele foi detido em flagrante em 17 de julho, mesmo dia em que a bebê foi internada, e transferido para o Presídio de Tubarão. Porém, no dia seguinte ele foi levado a Criciúma devido à repercussão do caso, “para garantia da integridade física dele”, explicou o delegado.

Com informações do site G1 SC

Notícias Relacionadas

Idoso fica gravemente ferido após ser agredido com capacete em Lauro Müller

Familiares também foram ameaçados por agressor. Com o acusado, a Polícia Militar encontrou drogas.

Criminosos invadem residência e agridem casal de idosos, em Gravatal

Denúncia de bullying será investigada em Tubarão

Uma das acusações é que um professor e outra aluna do colégio passaram tinta e cola no cabelo da criança.

Criciúma: operação apura falsificação de exames toxicológicos para renovação de CNH

A investigação apurou que o valor cobrado dos candidatos que buscavam o exame toxicológico falsificado era de aproximadamente R$ 1,2 mil.