Educação

Pequenas corrupções

Estamos decepcionados, frustrados, insatisfeitos com parte dos políticos do país, mas se engana quem atribui a corrupção apenas à política.

Divulgação

O assunto que mais veicula nas mídias hoje é a corrupção que se instalou no país e evolui tão rapidamente que nos passa a impressão de que nunca terá fim, criando uma insatisfação generalizada nos brasileiros que não acreditam mais na possibilidade de erradicação do problema. Estamos decepcionados, frustrados, insatisfeitos com parte dos políticos do país, mas se engana quem atribui a corrupção apenas à política.

A corrupção é uma questão cultural, e apresenta-se nas mais variadas formas sempre que alguém utiliza práticas ilegais para atender interesses pessoais ou de familiares, que muitas vezes podem até prejudicar outras pessoas. Todos nós, em maior ou menor grau, já cometemos algum ato corruptivo. São posturas praticadas no nosso cotidiano de forma sutil, simples, aceitável pela maioria, mas que não deixam de ser atitudes corruptas que poderão, um dia, causar grandes impactos. É óbvio que não como as consequências dos atos que hoje presenciamos por parte de nossos representantes, mas são prejudiciais, pois são desvios de caráter, maus exemplos para as crianças e jovens que costumam espelhar-se nos adultos, em especial nos pais. Sempre que criticamos os corruptos e dizemos que não somos culpados pelo que acontece, estamos nos omitindo e transferindo para o outro a responsabilidade de nossos atos na tentativa de justificar nosso erro.
No dia a dia é comum o cidadão deparar com situações desafiadoras que põem em xeque sua honestidade e caráter ao se entregar ao imoral sem se dar conta. Furar fila, falsificar assinaturas, dar atestados médicos falsos, sonegar impostos, não fornecer nota fiscal, falsificar o uso de carteirinha de estudante, comprar carteira de motorista, subornar policial, aceitar troco errado, bater ponto no trabalho para colega, lugares reservados, falsificar assinaturas, trafegar em velocidade acima do permitido, imprimir documentos pessoais na impressora da empresa, usar o tempo do expediente para atividades particulares, pedir para o patrão não assinar a carteira e continuar recebendo o seguro desemprego do último trabalho junto com o novo salário, jogar lixo no chão, viajar pela empresa e fraudar as notas fiscais para ficar com mais dinheiro, fingir que está dormindo quando entra um idoso no ônibus, e tantas pequenas atitudes trapaceiras que podem ser incentivadoras para trapaças maiores. São desvios de conduta que refletem na sociedade, pois vai se tornando um círculo vicioso, presenciado pelas crianças, as mesmas que conduzirão a nação amanhã, e reproduzirão as lições vivenciadas, em grande ou maior escala, dependendo da posição que ocuparem na sociedade. Os grandes corruptos e corruptores de hoje foram crianças como qualquer outra.

Lembrando, pessoas prósperas e inteligentes devem evitar tais comportamentos tomando atitudes simples, mas que são lições preciosas, como: colocar-se no lugar do outro melhorando a convivência entre as pessoas, praticar sempre a humildade, gratidão, ética, comprometimento e avaliar constantemente suas atitudes para corrigir as imperfeições, demonstrando que é possível ser honesto sim.

“A corrupção quebra o princípio da confiança e degrada o que é público”

Notícias Relacionadas

Gaeco deflagra operação e prende cinco por suspeita de corrupção

Durante a operação foram afastadas três pessoas da função pública e cumpridos 29 mandados de busca e apreensão

Operação Amigo dos Amigos investiga crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em Rio do Sul

A Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão em três cidades: Rio do Sul, Orleans e Tubarão.

Ricardo Guidi (PSD) ganha vaga de Ana Paula Lima (PT) na Câmara após liminar do TSE

O PT pediu a reanálise da questão após o primeiro turno das eleições, quando faltou apenas um voto para que o partido conseguisse eleger Ana Paula Lima.

Bolsonaro é esfaqueado durante ato de campanha em Minas Gerais; VEJA VÍDEO

O presidenciável foi levado para o hospital e passa bem, segundo familiares.