Geral

Professor que projetou escola do sertão cearense nacionalmente compartilha vivências em Criciúma

Amaral Barbosa proferiu palestra para os professores do Programa A União Faz da Vida, do Sicredi, marcando o Dia da Educação

Divulgação/Sicredi

Levantar a mão para esclarecer uma dúvida é um fazer comum à sala de aula. Na Escola Municipal Paulo Petruzzellis – Bairro da Juventude, porém, o sentido da prática tem sido diferente. Desde a implantação do Programa A União Faz a Vida (PUFV), em 2017, o protagonismo e a autonomia dos educandos ganharam estímulo. A iniciativa, desenvolvida pelo Sicredi, prioriza o interesse dos alunos e promove a aproximação entre os saberes da instituição e da comunidade.

Ações semelhantes são desenvolvidas na Escola de Ensino Fundamental Miguel Antônio Lemos, em Pedra Branca (CE), que ganhou projeção nacional após alcançar um resultado acima da média das escolas particulares brasileiras no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Diretor da instituição por 15 anos, Amaral Barbosa compartilhou suas vivências no Bairro, na palestra “A escola transformadora”. O encontro foi realizado nesta segunda-feira (28), marcando o Dia da Educação, celebrado em 28 de abril.

“É sempre bom refletir sobre o verdadeiro papel da escola, qual sua função social diante da sociedade? Que alunos estamos gerando? Acreditar no aluno deve ser uma missão diária de todos os agentes envolvidos no processo educacional”, enaltece Barbosa.

As expedições investigativas, espécie de saídas de campo para explorar alguma temática alinhada ao currículo escolar, são o ponto de partida da metodologia do PUFV. Com a mediação dos educadores, os estudantes rompem os limites da escola e, assim, constroem uma forma colaborativa de compreender a realidade. Uma das turmas, por exemplo, ao visitar o Parque Ecológico de Maracajá quis aprofundar a aprendizagem sobre animais abandonados. Os desdobramentos contaram com palestra da ONG SOS Vira-Lata e práticas interdisciplinares.

“É nítido que o interesse da criança está sendo respeitado. Esse é o caminho para promovermos a transformação social através da educação”, relata a auxiliar pedagógica de coordenação, Luciane Ricardo.

DIvulgação/Sicredi

Alunos elegem normas de convivência

A cooperação está presente ainda na gestão do ambiente escolar. Ao invés de estabelecerem normas de convivência, os professores levantaram, entre os alunos do ensino fundamental, suas percepções para a elaboração de uma diretriz institucional. Para eles, devem ser regras cuidar da estrutura e ser amigo. Outros assuntos, como o uso do boné, também estão sendo debatidos com os educandos.

“Na cooperativa, o associado tem voz, vota e toma as decisões. Com o programa, investimos em uma educação diferente, na qual os alunos constroem suas aprendizagens e se posicionam mais, sem que o conteúdo seja deixado de lado. Nos orgulha muito ver a proposta materializada”, destaca Aloísio Westrup, presidente da Sicredi Sul SC.

O programa está presente em sete estados brasileiros, totalizando mais de 284 mil crianças e adolescentes alcançados. Na escola Paulo Petruzzellis, são aproximadamente 300 estudantes. Mais informações sobre o PUFV podem ser conferidas no site: auniaofazavida.com.br.

Sobre o Sicredi

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).

Divulgação/Sicredi

 

Notícias Relacionadas

Tribunal de Justiça catarinense confirma pena para empresário que vendeu pipoca com rato dentro em Criciúma

Uma das vítimas, após ingerir a pipoca, teve intoxicação alimentar aguda causada por alimento contaminado.

Morador é executado com cinco tiros em Criciúma

Segundo informações, a vítima saiu recentemente do presídio e possui passagens por pedofilia e estupro de vulnerável.

Por chineladas em criança de quatro anos, Tribunal de Justiça mantém condenação de padrasto em Criciúma

A criança possuía várias marcas pelo corpo, em regiões das pernas, costas e nádegas.

Projeto Educanvisa promove saúde em escolas da rede municipal de Lauro Müller