Geral

Projeto de Lei sobre Agricultura Familiar é apresentado para Epagri e agricultores em Criciúma

Objetivo do PL é ser uma política pública de Agroecologia e Produção Orgânica

Foto: Giovane Marcelino

A agricultura familiar em Criciúma é um assunto que poucas pessoas têm conhecimento, mas esses trabalhadores e famílias fazem o plantio de diferentes alimentos no município. Para colaborar com o desenvolvimento dos agricultores, foi protocolado na Câmara de Vereadores de Criciúma o Projeto de Lei 81/2021 de autoria da vereadora Giovana Mondardo, que dispõe sobre a Política Municipal de Agroecologia e Produção Orgânica de Criciúma (Criapo).

O projeto foi apresentado para a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e também para alguns agricultores que trabalham com agroecologia e alimentos orgânicos em Criciúma no plenarinho da Câmara de Vereadores. “Queremos criar uma boa condição de trabalho e políticas públicas na agricultura para que se torne um caminho de oportunidades, em especial para os jovens que atuam no campo”, destacou a vereadora Giovana Mondardo.

Além do fomento na produção, a intenção da política municipal é que os alimentos orgânicos sejam levados cada mais para dentro das salas de aulas do município, colaborando também com o desenvolvimento da economia.

O Projeto de Lei 81/2021 seguirá em tramitação pelas comissões na Câmara de Vereadores antes de chegar ao plenário para a votação dos vereadores.

Alimentação em Criciúma

Requerimentos sobre agricultura familiar já foram tema na Câmara de Vereadores. O requerimento 452/2021 questionou a possibilidade de terceirização da alimentação escolar, no qual a resposta veio positiva, em que o município afirmou estar fazendo estudos para a compra de alimentação escolar.

Já o requerimento 418/2021 visou saber o investimento em aquisições de alimentação, no qual, foi informado que em 2021, Criciúma está repassando mensalmente o valor de R$348.050,60, além de afirmar que destina 70% deste recurso para a aquisição direta da agricultura familiar.

Política Estadual em vigor

Enquanto o PL de política municipal seguirá em tramitação, a política estadual foi sancionada na última semana. O governador Carlos Moisés da Silva sancionou na última semana a lei que institui a Política Estadual de Agroecologia e Produção Orgânica (Peapo).

A Lei Ordinária 18.200/2021 diz que a Peapo será implementada pelo Estado em regime de cooperação com a União, os Municípios, as organizações da sociedade civil e outras entidades privadas, de acordo com as diretrizes e normas da agroecologia e da agricultura orgânica. A Lei entrará em vigor em até 120 dias após a publicação no Diário Oficial da União.

Santa Catarina em Destaque

A Lei que entrará em vigor em Santa Catarina irá contribuir ainda mais com os produtores. De acordo com a Epagri, o Estado é o 4º maior produtor de orgânicos do Brasil, com quase 3 mil produtores, em que existe a expectativa de aumento de consumo de 20% ao ano.

À nível de Brasil, há duas leis e um decreto que abrangem esse público: Lei 10.831 de 2003 que dispõe sobre a agricultura orgânica; Lei 11.324 de 2006 que fala sobre a Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais; e o Decreto 7.794 de 2012 que garante a Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica.

Colaboração: Giovane Marcelino 

Notícias Relacionadas

Com aperfeiçoamento constante, Associação de Apicultores de Orleans é destaque em Santa Catarina

ALERTA: Período de seca pode comprometer consumo de água em Lauro Müller

A represa localizada em Rio Bonito, a qual abastece os setores de abrangência da companhia em Lauro Müller, está quase seca.

Seminário discute desenvolvimento da cadeia leiteira no Sul de Santa Catarina

Diretoria do CTG de Orleans apresenta prioridades e solicita recursos a lideranças políticas municipais

Entre as prioridades apresentadas, estavam melhorias na infraestrutura do parque de eventos.