Geral

Operação encontra 69 crânios de boi abatidos ilegalmente em SC

Flagrante da operação contra abate clandestino de bovinos ocorreu na sexta-feira, mas foi divulgado na tarde de segunda-feira.

Foto: PMA/Divulgação

A Polícia Militar Ambiental (PMA) encontrou 69 crânios de boi mortos de foram ilegalmente em uma propriedade rural na cidade de Ipuaçu, no Oeste de Santa Catarina. O flagrante da operação contra abate clandestino de bovinos ocorreu na sexta-feira (24), mas foi divulgado na tarde de segunda-feira (27).

Além da PMA e da Polícia Civil, funcionários da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) também participaram da ação. Também foram localizadas carcaças e vísceras animais depositadas de maneira irregular.

Segundo a Cidasc, o abate de animais deve seguir uma série de regras. O transporte e depósito de carcaças também seguem normas técnicas.

Na propriedade, os policiais também perceberam a derrubada de vegetação nativa em Área de Preservação Permanente (APP), bem como pranchas de madeira nativa em depósito, sem documento de origem florestal.

Por conta das irregularidades, o proprietário e responsável pelo local vai responder pelos crimes praticados nas esferas administrativa e penal.

Com informações do G1

Notícias Relacionadas

Em cinco horas, PMRv recolhe 13 carteiras de motoristas e prende um por embriaguez ao volante em Laguna

O montante é preocupante segundo os policiais, já que foram somente 32 abordagens neste período. Motoristas pagarão multa de aproximadamente R$ 3 mil e ficarão sem a CNH por 12 meses.

Proprietário de lavação é preso por tráfico de drogas em Orleans

Na delegacia, o acusado confirmou que entregou 15 gramas de crack para o usuário em troca de um Fiat Uno com problemas mecânicos.

Polícia Militar aborda 70 pessoas durante Operação Praia do Gi, em Laguna

A ação tinha por objetivo reprimir aglomerações, uso de drogas e crime de perturbação ao sossego.

Operação ‘Feliz Mano Novo’ prende suspeitos de tráfico de drogas, homicídios e roubos

Quadrilha investigada é do Rio Grande do Sul e estaria se instalando em municípios catarinenses, de acordo com a Polícia Civil.