Segurança

Réus são condenados por homicídio de adolescente em Laguna

O crime aconteceu em fevereiro de 2018, no bairro Portinho, em Laguna.

Divulgação

Dois homens foram condenados, em Sessão do Tribunal do Júri realizada nesta segunda-feira (27), na comarca de Laguna, pelo homicídio de um adolescente. O crime aconteceu em fevereiro de 2018, no bairro Portinho, em Laguna, quando, a mando dos réus, um adolescente executou o jovem a tiros, que atingiram a cabeça, pescoço, tronco e membros do dorso.

Segundo a denúncia, a motivação seria que a vítima teria oferecido arma de fogo e munição a indivíduo integrante de organização criminosa rival. Os réus foram condenados, a penas de 17 anos, dez meses e 20 dias de reclusão e 15 anos de reclusão, por homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e mediante dissimulação e corrupção de menores, por terem induzido outro adolescente a praticar o crime contra a vítima.

Uma terceira pessoa que também responde pelo crime ainda não foi julgada e aguarda recurso da pronúncia no Tribunal de Justiça. (Ação Penal 0001373-73.2018.8.24.0040)​

Notícias Relacionadas

Estado garantirá tratamento anual de R$ 2,7 milhões a criança de Laguna com AME, decide TJ

De acordo com os autos, a perícia médica comprovou que a criança, natural de Laguna, precisa do remédio e que inexiste, na rede pública de saúde, tratamento para a doença.

Em Laguna, governador autoriza emissário terrestre para a praia do Mar Grosso e libera recursos para hospital

A projeção da Casan é que o empreendimento fique pronto em janeiro de 2020. O emissário é uma rede de 2.718 metros de extensão e diâmetro de 315 milímetros, com tubos de polietileno.

Idoso capota carro sobre a Ponte Anita Garibaldi, em Laguna

Motorista de aproximadamente 80 anos estava sozinho quando perdeu o controle do veículo com placas de Braço do Norte.

Tribunal de Justiça confirma que município de Laguna deve fechar acessos de carros à Praia do Cardozo

Na sentença, foi determinado ainda que a prefeitura promova a instalação de placas de advertência no local e fiscalize a área, sob pena de multa diária no valor de R$ 500. A decisão busca preservar o meio ambiente e proteger os banhistas.