Geral

Salvaro discute impasse com a Casan e encaminha criação do Samae de Criciúma

Prefeito de Criciúma esteve reunido com vereadores e prefeitos da Amrec na manhã desta quarta-feira (6).

Foto: Divulgação

Para apresentar os assuntos discutidos com representantes da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) na última quinta-feira (28), em reunião realizada na sede da estatal, em Florianópolis, e viabilizar a criação do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Criciúma, o prefeito Clésio Salvaro se reuniu na manhã desta quarta-feira (6), no Paço Municipal Marcos Rovaris, com vereadores de Criciúma e prefeitos da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amrec).

“Eu expliquei a eles que a Casan está disposta a nos repassar 5% dos lucros da empresa em Criciúma. Mas, nós solicitamos 7% de royalties, além da redução de 40% da taxa de esgoto e a revisão das tarifas de água no prazo de até seis meses. Caso os pedidos não forem aceitos, a Prefeitura de Criciúma irá romper o contrato com a estatal e vai assumir os serviços para fornecer água aos moradores”, afirma Salvaro.

De acordo com Salvaro, a Administração Municipal está disposta a assumir o sistema de abastecimento de água e tratamento de esgoto por meio do Samae. O Projeto de Lei (PL) que cria a autarquia municipal será encaminhado à Câmara de Vereadores nos próximos dias. “A intenção do Governo de Criciúma é dar o pontapé inicial e criar a autarquia. Se a Casan não atender às solicitações protocoladas em janeiro, vamos assumir o sistema via decreto ou justiça. Estamos estudando as possibilidades e estruturando o PL através da Procuradoria-Geral do Município”, ressalta.

O impasse entre Governo de Criciúma e Casan deve ser solucionado em uma nova reunião entre Salvaro e a presidente da estatal, Roberta Maas dos Anjos. O encontro está agendado para o dia 14 de março, às 15h, no Paço Municipal Marcos Rovaris. “Não dá para continuar pagando uma tarifa alta e receber um serviço ruim. Hoje, em bairros que contam com a rede de esgoto sanitário, quem gasta R$ 100 para ter água tratada tem que pagar mais R$ 100 de taxa de esgoto. Isso é um absurdo. Esperamos que todos os pedidos de Criciúma sejam atendidos”, analisa o prefeito.

Na reunião desta quarta-feira, os municípios de Maracajá, Forquilhinha, Içara, Nova Veneza e Siderópolis, representados pelos seus prefeitos, formalizaram um ofício para comunicar à Casan sobre a adesão a todos os pedidos solicitados pela Prefeitura de Criciúma, requerendo os mesmos encaminhamentos e decisões. O documento será protocolado pelo secretário-executivo da Amrec, Acélio Casagrande, na sede da Casan.

Colaboração: Comunicação Prefeitura de Criciúma

Notícias Relacionadas

ALERTA: Período de seca pode comprometer consumo de água em Lauro Müller

A represa localizada em Rio Bonito, a qual abastece os setores de abrangência da companhia em Lauro Müller, está quase seca.

Estado anuncia R$ 8 milhões para recuperação de ruas de Criciúma que passam por obras da Casan

Em Criciúma o sistema de saneamento básico está sendo ampliado no Bairro São Luiz.

Campanha “Compre de Orleans” será lançada neste sábado na Praça Celso Ramos

Programação da Semana Mundial do Meio Ambiente convida à reflexão, em Orleans