Segurança

Vereador é preso por produção e comercialização de alimentos clandestinos em São Martinho; VEJA FOTOS

Os produtos irregulares eram comercializados na região de Armazém, Gravatal e Tubarão

Divulgação

A Polícia Militar de Gravatal e a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) apreenderam 500 quilos de produtos alimentícios irregulares. O responsável pela produção e distribuição das mercadorias é um vereador.

Após muitas denúncias de trânsito e comércio de produtos de origem animal clandestino, a Polícia Militar de Gravatal começou uma investigação para analisar as denúncias. Na madrugada da última sexta-feira (24), a polícia, juntamente com a Cidasc, monitorou um caminhão suspeito, que foi acompanhado até um posto de gasolina.

Ao abordar o caminhão, os policiais flagraram o comércio de alimentos sem procedência. Foram encontrados queijos, manteiga, nata, e outros produtos de origem animal sem procedência. Os policiais ainda verificaram que as condições do transporte eram inadequadas, já que os alimentos não tinham refrigeração e estavam misturados com produtos como batata, alface, laranjas e carvão. A falta de higiene também foi constatada, porque havia muita sujeira em contato com os produtos e os alimentos não tinham nenhuma embalagem de proteção.

Divulgação

Após a abordagem ao caminhão, os policiais se deslocaram até o local de fabricação dos produtos. Um fiscal da vigilância sanitária de São Martinho acompanhou a equipe policial até a comunidade de São João, no município de São Martinho. No local foram encontrados uma grande quantidade de queijos congelados, além de outros produtos irregulares.

Divulgação

O fiscal da Cidasc de Armazém o médico veterinário Erivelton Nandi Nazario relata as condições em que os alimentos eram produzidos e alerta para o perigo para a saúde dos consumidores. “Incrível a falta de higiene, desorganização, presença de animais, equipamentos sujos e impróprios para a produção de alimentos. Em conversa com o cidadão autuado, o mesmo relatou que não realiza exames de brucelose e tuberculose nas vacas que produzem o leite utilizado na fabricação de queijos e dos demais derivados. Por não realizar a pasteurização, e toda estrutura de fabricação e transporte serem impróprios é grande o risco aos consumidores de contrair estas e inúmeras outras doenças”, conta.

Divulgação

Ao total foram apreendidos em torno de 500 quilos de produtos alimentícios irregulares e o infrator foi autuado pelo Código de Defesa do Consumidor, sendo preso em flagrante e sem direito a fiança. O homem é vereador e foi conduzido ao presídio de Tubarão. A polícia não informou o nome do vereador.

Participaram da ação Cidasc, Polícia Militar de Gravatal e São Martinho, Polícia Civil de Gravatal e Vigilância Sanitária de São Martinho.

Divulgação

Como identificar produtos irregulares?

Os produtos não regulamentados podem significar um grande perigo para a saúde da população. É pensando nisso que os órgãos responsáveis sempre estão verificando e fiscalizando a fabricação e transporte dos alimentos.

O consumidor também pode verificar as condições do produto ao comprá-lo. “Todo produto de origem animal deve estar embalado e rotulado. Na rotulagem deve constar informações como estabelecimento que produziu, data de fabricação, prazo de validade, temperatura de armazenamento e o carimbo do serviço de inspeção que fiscaliza o estabelecimento (serviço de inspeção federal, estadual ou municipal)”, explica o fiscal da Cidasc, Erivelton Nandi Nazario.

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Notícias Relacionadas

Condutor é preso após tentar atropelar um policial federal rodoviário na BR-101, em Biguaçu

O homem de 24 anos estava com um com um veículo roubado. A ocorrência foi registrada na manhã do último sábado (13).

Homem fica preso nas ferragens após acidente com dois veículos na SC-108, em Criciúma

A colisão ocorreu entre dois veículos no Bairro São Simão por volta das 15h20 desta quarta-feira (11)

TRF4 manda afastar do cargo prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, preso na Operação Chabu

Determinação é que fique 30 dias fora das funções e não faça contato com demais suspeitos de envolvimento na operação. PF investiga a violação de sigilo de operações policiais

Estado indenizará cidadão equivocadamente anunciado como preso em nota de rede social em Sombrio

O Estado de Santa Catarina foi condenado a indenizar o homem, por danos morais, em R$ 5 mil