Segurança

Caminhoneiro que ludibriava postos de combustíveis é condenado por estelionato em Laguna

O prejuízo dos abastecimentos de óleo diesel ultrapassou R$ 1.300. Os crimes aconteceram em Laguna e Itajaí, e a tentativa, que resultou em prisão, ocorreu em Laguna.

Divulgação

Um motorista de caminhão foi condenado pelo juízo da Vara Criminal da comarca de Laguna por abastecer em postos de gasolina e sair sem pagar. O homem teria praticado o crime em duas oportunidades. Na terceira vez, quando se preparava para deixar o estabelecimento, foi preso em flagrante.

O prejuízo dos abastecimentos de óleo diesel ultrapassou R$ 1.300. Os crimes aconteceram em Laguna e Itajaí, e a tentativa, que resultou em prisão, ocorreu em Laguna. A ação consistia em, ao final do abastecimento, o acusado dirigir-se até a loja de conveniência para efetuar o pagamento, como é feito normalmente.

Porém, neste ambiente, o condutor alegava ter esquecido a carteira no veículo e pedia alguns instantes para buscá-la. Na sequência, fugia com o caminhão. Além disso, ele dirigia com as placas do caminhão trocadas como forma de dificultar sua identificação e posterior localização.

O homem foi condenado por estelionato, por duas vezes, e tentativa de estelionato, em continuidade delitiva, assim como adulteração de sinal identificador de veículo automotor. A pena foi fixada em quatro anos e dois meses de reclusão, em regime semiaberto, mais pagamento de multa. Cabe recurso da decisão ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina (Ação Penal n. 0000385-23.2016.8.24.0040).​​

Notícias Relacionadas

Estado garantirá tratamento anual de R$ 2,7 milhões a criança de Laguna com AME, decide TJ

De acordo com os autos, a perícia médica comprovou que a criança, natural de Laguna, precisa do remédio e que inexiste, na rede pública de saúde, tratamento para a doença.

Idoso capota carro sobre a Ponte Anita Garibaldi, em Laguna

Motorista de aproximadamente 80 anos estava sozinho quando perdeu o controle do veículo com placas de Braço do Norte.

Motorista que passeava por Garopaba com CNH falsa é condenado a 3,6 anos de reclusão

O documento tinha a foto dele, mas o nome era de outra pessoa. Na delegacia, os policiais descobriram a verdadeira identidade do réu e constataram que havia contra ele um mandado de prisão em aberto, por roubo tentado.

Pedreiro de cemitério condenado por enriquecimento ilícito e venda casada de serviços em Urussanga

Os fatos aconteceram entre 2010 e 2012, quando o homem era responsável pela gestão do Cemitério Municipal de Urussanga