Geral

Secretários são eleitos para o Conselho de Órgãos Fazendários da Amrec

Vários municípios foram representados no Conselho

Divulgação

O secretário de Administração e Finanças do Governo de Siderópolis, Roberto Júlio Ribeiro, foi eleito presidente do Conselho de Órgãos Fazendários da Amrec (Confaz/M-Amrec). A vice-presidência ficou com o secretário de Nova Veneza, Osnir Guellere, e o coordenador do Movimento Econômico da Amrec, Ailson Piva, será o Secretário Geral. O representante da região no Confaz Estadual, continua sendo o secretário de Cocal do Sul, Clédio Fachin, e a suplência ficou com o secretário de Orleans, Jair Henrique de Souza Wagner.

O presidente eleito, Roberto Ribeiro, comentou que “o colegiado continuará procurando as melhores soluções para gerar economia aos municípios, melhorando o investimento próprio”. Segundo ele, o colegiado é importantíssimo para troca de experiências.

Durante o encontro desta semana, os secretários trataram da atual situação econômica e dos cuidados que os municípios precisam ter para o encerramento do mandato. O secretário executivo da Amrec, Acélio Casagrande, participou do encontro, falando dos estudos que estão sendo realizados para fundação do consórcio multifinalitário, que deve servir para base de compras da prefeitura.

Notícias Relacionadas

Momento preocupante nas regiões da Amrec e da Amurel por causa da forte chuva

Defesa Civil, Bombeiros e Polícia Militar atuam no socorro em várias cidades da região

Desconto nos salários: prefeito, vice e secretários de Braço do Norte cumprem doação de 20%

Ao todo foram depositados R$ 6.594,30 na conta do Fundo da Secretaria Municipal de Saúde e R$ 6.594,30 na conta do Fundo Municipal de Assistência Social, totalizando R$ 13.188,60.

Projeto Ver retorna ao Sul do Estado com 990 cirurgias de catarata

Nesta quarta-feira (14), iniciam as cirurgias de catarata para 207 pacientes da Amrec, em Nova Veneza, e da Amurel, em Braço do Norte.

Prefeitos e vereadores do Sul se posicionam contra praças de pedágio na BR-101

O empreendimento prevê investimentos de R$ 6,5 bilhões, sendo R$ 2,9 bilhões em investimentos e R$ 3,6 bilhões em custos operacionais nos 30 anos de concessão.